Aumento das áreas de algodão e soja e queda na de milho de primeira safra em 2017/18

A menor produção prevista para a safra de verão é um fator de sustentação das cotações até o começo de 2018

Na última terça-feira (10), a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou o primeiro levantamento da safra brasileira de grãos 2017/2018. A expectativa para o milho de primeira safra (safra de verão) é de redução da área entre 6,1% e 10,1%, ou seja, entre 336,3 mil e 552,5 mil hectares a menos, em relação à safra anterior.

A cultura deverá perder espaço para a soja na primeira safra, em função das quedas nos preços do cereal na temporada que se encerrou.

Com isso, a produção deverá ser entre 13,2% e 17,8% menor em 2017/2018, frente a 2016/2017. Estão previstas entre 25,02 milhões e 26,43 milhões de toneladas na primeira safra deste ciclo. A menor produção prevista para a safra de verão é um fator de sustentação das cotações até o começo de 2018.

No caso da soja é esperado um incremento da área em relação à safra passada, devido a fatores como maior liquidez e melhor rentabilidade comparativamente com o milho. A Conab estima um aumento médio de 2,7% na área de soja nesta temporada, podendo atingir entre 34,5 milhões e 35,2 milhões de hectares.

Apesar do acréscimo na área, a produção poderá ser menor devido a expectativa de uma produtividade menor em 2017/2018, em função de condições climáticas mais adversas, em relação safra anterior.

O país deverá colher entre 106,0 milhões e 108,3 milhões de toneladas de soja, frente ao recorde de 114,1 milhões de toneladas colhidas anteriormente.

Para o algodão é esperado aumento entre 5,5% e 15,4% na área semeada na safra atual, devido as altas de preços na temporada. A cultura deverá ocupar entre 991,2 mil e 1,1 milhão de hectares. A expectativa é de aumento da produção de pluma entre 5,1% a 14,9% em 2017/2018, em relação à safra anterior. (Agrolink)

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *