Sex - 17/08
28º 16º 08:33
Guaíra - SP

Cachorro é agredido a marteladas e vizinhos chamam a polícia

O animal foi resgatado pela UPPA, levado para a clínica veterinária e agora precisa de um lar; homem de 56 anos, dono do cão, foi levado para o plantão policial e responderá por maus-tratos

Cidade
Guaíra, 28 de Março de 2018 - 10h04

No início da noite desta segunda-feira (26), por volta das 19h, um caso de agressão a um cachorro chocou parte da comunidade guairense, que, revoltada, postou suas opiniões nas redes sociais demonstrando-se inconformada com a ocorrência.

O crime ocorreu na Avenida 21 do Bairro João Vaccaro. Segundo testemunhas, um homem de 56 anos estaria espancando o seu cachorro com um martelo, dizendo que iria matá-lo. Imediatamente, os vizinhos ligaram para a UPPA (Unidos Pela Proteção Animal) que se deslocou para a região acionando a Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar.

“Chegando ao local antes dos policiais, os moradores já tinham se revoltado com o indivíduo separando ele do animal e mantendo ele no pasto do João Vacaro até a polícia chegar. A população estava toda revoltada com a situação querendo até agredir o indivíduo”, afirmou um dos integrantes da entidade, Francisco de Souza Lima, o Kiko.

A polícia chegou em seguida detendo o agressor e levando-o para a delegacia, onde o delegado Dr. Rafael Faria ratificou o boletim de ocorrência. No plantão, o acusado confirmou que teria tentado matar o cão e que em seguida teria sido agredido por populares, sofrendo lesões na face. O martelo foi apreendido pela polícia e o indivíduo, que foi liberado posteriormente, responderá por maus-tratos, do Art. 32, podendo pegar detenção de três meses a um ano e multa.

Os protetores da UPPA levaram o animal imediatamente para uma clínica veterinária, onde foi atendido e encontra-se internado. Agora, a entidade torce pela sua recuperação e já anunciou a doação do mesmo. “Ele é um sobrevivente, depois dessas lesões na cabeça. O estado dele é estável por enquanto. Estamos colocando-o para doação, para que seja adotado por alguém que possa dar todo o carinho que ele merece”, completa Kiko, que deixou o telefone para os interessados (17) 98106-8255.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos