Sex - 22/06
27º 15º 21:16
Guaíra - SP

Caminhoneiros de Guaíra aderem à greve e se mobilizam na Assis Chateaubriand

Até o final da tarde de ontem, muitos munícipes se deslocaram até a paralisação para dar suporte aos trabalhadores

Cidade
Guaíra, 26 de Maio de 2018 - 10h35

Na manhã de ontem (25), dezenas de caminhoneiros de Guaíra se mobilizaram e aderiram à greve e à mobilização contra a disparada do preço do diesel, que faz parte da política de preços da Petrobras em vigor desde julho de 2017.

O movimento se estabeleceu na Assis Chateaubriand, SP-425 Km 131, no Acesso João Jorge Garcia Leal (Acesso 3), próximo ao Posto 50tão, paralisando caminhões e veículos de grande porte, deixando passar somente carros, ambulâncias, viaturas e cargas vivas e de medicamentos.

Sem qualquer classe sindical representante, os motoristas demonstraram que estão no movimento por conta própria e que contam com o apoio da comunidade guairense e dos produtores rurais. “A gente aderiu à greve para fortalecer o movimento que ocorre no Brasil todo. Por que Guaíra não? Temos muitos motoristas, agricultores, uma cidade agrícola, que trabalha em cima do diesel, que está muito caro, não dando condições de trabalhar. As coisas estão piorando cada vez mais, vamos aderir todos para fortalecer!”, convidou um dos caminhoneiros.

Até o final da tarde, muitos munícipes se deslocaram até a paralisação para dar suporte aos trabalhadores, assim também como o sindicato rural e dos trabalhadores rurais do município e algumas empresas.

“A paralisação só ocorre com caminhões. Carros pequenos, ambulâncias, caminhões de medicamentos e cargas vivas continuam. Estamos recebendo apoio dos agricultores empresas, todo mundo está nos dando suporte”, disse.

Pronunciamento do presidente

Na tarde de ontem (25), o presidente Michel Temer anunciou, durante pronunciamento no Palácio do Planalto, que acionou forças federais para desbloquear estradas, ocupadas por caminhoneiros em greve.

Segundo ele, o governo federal optou por acionar as forças federais depois de se reunir com ministros para uma “avaliação de segurança” no país, já que a greve dos caminhoneiros continuou, apesar de um acordo firmado entre governo e representantes da categoria na noite de quinta (24).

Entretanto, os caminhoneiros afirmam que o acordo não os representa. “Não ficou nada resolvido. A rede Globo botou uma nota falsa para tentar desfazer a greve, mas o pessoal está firme e forte e o movimento vai continuar”, disseram os motoristas.

“O presidente falou que vai ‘arrancar’ os caminhões da rodovia, ‘limpar’ com suas forças armadas. Vamos mostrar que nossa categoria é forte. Ele fala isso porque não sabe o custo do pedágio por caminhão, não fica todas as noites na rodovia, não fica mais de mês sem encontrar a família. Quero ver ele guinchar todos os caminhões que estão parados. Vamos segurar firme, pois isso não pode ficar do jeito que está, finalizaram.

PARALISAÇÃO CONTINUA

Até o fechamento desta edição, os caminhoneiros de Guaíra continuavam no local sem qualquer decisão de encerramento da paralisação. Eles prolongariam a iniciativa até mesmo durante a madrugada e só sairiam da rodovia se o movimento nacional também terminasse.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos