Como a Narcóticos Anônimos pode fazer a diferença na vida de um adicto

Para explicar um pouco mais a finalidade do NA e a mudança que o grupo causou em sua vida, “João” (pseudônimo utilizado) concedeu entrevista

Há sete anos em Guaíra, o grupo Narcóticos Anônimos vem transformando a vida de muitos guairenses, que conseguiram largar o vício e batalham, diariamente, para seguir saudavelmente com suas rotinas.

Com reuniões diárias, aproximadamente oito membros se encontram no Centro Catequético, de segunda a sábado das 20 às 22h e de domingo, das 10 às 12h, trocam experiências, se informam através das literaturas do NA e constroem uma consciência coletiva.

Para explicar um pouco mais sobre o trabalho realizado dentro do grupo e as transformações ocorridas na vida de um dependente, o Jornal O Guaíra entrevistou um adicto, que nessa matéria terá o pseudônimo de “João”. Confira:

O que é o Narcóticos Anônimos de Guaíra?

É uma irmandade sem fins lucrativos de homens e mulheres para quem as drogas se tornaram um problema maior, onde nos reunimos regularmente buscando ajuda mútua.

O que é um adicto? O que é a doença da adicção?

É um termo usado em Narcóticos Anônimos para toda pessoa que tem sua vida controlada pelas drogas, ou outros vícios, como jogos, sexo, alimentos, entre outros. São pessoas que se tornaram escravos da droga, deixando de executar sua função na sociedade pelo vício. A adicção é uma doença progressiva incurável e fatal, que pode ser detida em algum ponto. Em NA é possível.

E o que é tempo limpo?

É o termo utilizado para definirmos o tempo que deixamos de utilizar drogas, desde quando paramos com a droga, que pode ser toda e qualquer substância que altera o nosso humor e a mente.

João, como você se sentiu quando parou de usar drogas?

No início me sentia confuso e com medo, mas com o companheirismo e ajuda que encontrei em reuniões do NA comecei a acreditar que poderia ter uma nova maneira de viver.

Quando decidiu parar com elas?

Muitos de nós tivemos que chegar ao fundo do poço antes de estarmos dispostos a parar. Eu fui um deles. Perdi tudo, minha família, meu carro, emprego, enfim, tudo. Senti, por fim, um motivo para procurar ajuda.

Como é sua relação com os amigos que usam drogas?

Em NA é sugerido que não tenhamos convivência com pessoas que estão usando drogas para não colocar em risco nossa recuperação.

Você não sente vontade de usar drogas em momento de depressão? E o que faz para não voltar ao uso novamente?

Procuro meus amigos no NA, vou a uma reunião, peço ajuda e leio a literatura de NA.

Depois que você saiu desse “inferno”, sente vontade de usar novamente?

Sim. Mas, com a ajuda dos companheiros, e no programa de NA, estou aprendendo a viver sem o uso de drogas.

João, você acha que realmente está livre?

Acredito que sofro de uma doença progressiva incurável e fatal. Se continuar frequentando as reuniões, praticando e levando a mensagem, sei que me manterei livre do uso de drogas.

O que você diria para jovens que estão no caminho das drogas?

Há pessoas que acreditam que podem parar de usá-las a qualquer momento, quando bem quiser. Na verdade, não é assim. É preciso entender que ao invés de eu controlar a droga, ela acaba controlando. Por isso, busco diariamente ajuda em NA, através das partilhas e dos companheiros, para ganhar forças e perder a vontade de usar novamente.

Deixe um recado para aqueles que se identificam com a situação.

Se você acredita que se identificou com algumas dessas perguntas, procure o NA. Se dê a oportunidade de encontrar uma nova maneira de viver através do grupo, porque realmente funciona, sou prova viva disso.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *