Seg - 21/05
22º 21:50
Guaíra - SP

Grande quantidade de lixo continua atrapalhando fazendas da antiga estrada do Boiadeiro

Geral
Guaíra, 26 de julho de 2016 - 08h00

São mais de seis quilômetros de acostamento com resíduos, que estão chegando no interior das propriedades atingindo árvores e plantações. Chefe do departamento de serviços urbanos contou que retira dois caminhões de lixo por semana na região

A falta de respeito de alguns cidadãos continua causando grandes transtornos para os moradores de fazendas e sítios localizados na antiga estrada do Boiadeiro, caminho de terra que segue do Bairro Cohab II para diversas propriedades, no final da Avenida José Flores.

Há pessoas que não esperam a coleta de lixo, realizada pela empresa Seleta por toda a cidade, e jogam sacolas, restos de construções, móveis e eletrodomésticos velhos e até mesmo animais mortos no acostamento desta estrada. Esses resíduos se encontram em mais de seis quilômetros do caminho.

Alguns residentes já fizeram várias reclamações esperando que a prefeitura autue, de alguma maneira, os responsáveis pelo péssimo hábito. “Não sabemos mais o que fazer. Está se tornando insuportável passar pela estrada, nossa ligação entre as fazendas e a cidade. Além do mau cheiro terrível, sacos e garrafas podem se tornar focos para mosquito e outros insetos”, denuncia a proprietária de uma das fazendas.

A guairense destaca que o lixo está se espalhando para dentro das propriedades, atingindo árvores e plantações. “Estão prejudicando nossa terra, nossa cidade. Será que não pensam nisso? Sabemos que todo esse lixo não é jogado pelos moradores daqui. Muitas pessoas trazem detritos da cidade para cá, como se aqui fosse um ‘lixão’. O mau cheiro piora quando jogam animais mortos. Além de tudo isso ainda há pessoas sem coração que abandonam cães e gatos na estrada”, completa.

Para os moradores, apesar de a prefeitura fazer a limpeza algumas vezes, a população precisa se conscientizar de alguma maneira. “Sabemos que certas pessoas só mudam o mau hábito quando ‘pesa o bolso’. Se a câmara e a prefeitura adotassem alguma lei de multa para quem jogar lixo em locais impróprios, acredito que a cidade melhoraria sua aparência”, conclui a denunciante.

UMA VEZ POR SEMANA

Para quem utiliza a antiga estrada do Boiadeiro, que, além de ser o único caminho para algumas propriedades, ainda é utilizada como atalho para Barretos, a grande quantidade de lixo no local assusta.

De acordo com a chefe do departamento de Serviços Urbanos, Patrícia Gonçalves, a situação só não é mais calamitosa porque uma vez por semana eles fazem uma “raspagem” na área. “Toda sexta-feira passamos máquina no acostamento da estrada para reduzir o acúmulo de lixo. Mas, infelizmente, não está resolvendo, já que as pessoas continuam com o péssimo hábito de jogar resíduos na região”, destaca.

Sobre o lixo estar atingindo o interior das propriedades, Patrícia ressaltou que irá tomar providências. “Utilizamos uma niveladora na última limpeza e isso acabou contribuindo para que o lixo se espalhasse um pouco. Entre hoje e amanhã irei enviar alguns funcionários para rastelar o local.”

Segundo a chefe, o governo já tentou colocar caçambas na estrada, mas algumas pessoas aproveitam para jogar muitos animais mortos, o que causa um mau cheiro terrível. “Colocar caçambas não irá resolver. Já tentamos. Já pedimos ajuda da Guarda Municipal também para tentar evitar que as pessoas joguem o lixo. É complicado”, completa.

Patrícia ainda impressionou com a grande quantidade de resíduos retirados da região. “São dois caminhões de lixo por semana retirados dessa estrada. O melhor seria conscientizar a população, pois o trabalho nunca reduz o problema”, conclui.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos