Ter - 23/10
31º 20º 18:28
Guaíra - SP

Henrique Prata anuncia que a unidade de Fernandópolis não será fechada

Agora
Guaíra, 5 de julho de 2016 - 08h09

Prata contou que procurou o Ministério da Saúde em última instância para pedir ajuda, mas foi informado de que há algumas pessoas dentro do ministério que são contra o investimento

O diretor-geral do Hospital de Câncer de Barretos, Henrique Prata, anunciou nesta quinta-feira (30.06), em coletiva de imprensa realizada no Ircad – América Latina, que o Instituto de Prevenção de Fernandópolis (SP) não vai mais ser fechado. A decisão foi tomada após uma reunião com o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB-SP).

“Eu quero esclarecer as medidas que me levaram a falar sobre o fechamento. Foi um pedido de socorro. Faz seis anos que a unidade de Jales (SP) existe e três a de Fernandópolis sem credenciamento. Eu estava tentando achar caminhos para continuar com o trabalho, mas em virtude da crise, da falta de recursos, estava se tornando insustentável continuar sem o credenciamento do SUS”, afirmou.

Prata contou que procurou o Ministério da Saúde em última instância para pedir ajuda, mas diante da crise econômica, foi informado de que há algumas pessoas dentro do ministério que são contra o investimento em tratamento de câncer. “Eu não compreendia porque havia tão pouco dinheiro para tratar dessa doença em lugares como o Amazonas e o interior do Nordeste, por exemplo. Hoje, eu percebo, eu entendo. Não há interesse em tratar o câncer no país”, disse.

De acordo com o diretor-geral do Hospital, após a ida ao ministério ele se encontrou com um empresário parceiro da instituição que lhe ofereceu ajuda e o colocou em contato com o Deputado Federal Baleia Rossi (PMDB-SP), que lhe prometeu que conseguiria uma reunião com o presidente em exercício, Michel Temer. “Eu achei que ia ser difícil conseguir isso. O presidente, com todos os problemas que tem, achei que não teria tempo para me receber. Fui para Porto Velho (RO) e recebi a ligação de um assessor do deputado Baleia Rossi dizendo que a audiência estava marcada para 29 de junho, dia de São Pedro, às 15h, horário em que Jesus morreu por misericórdia a nós. Sabia que não era só uma coincidência, que tinha alguma ligação isso tudo.”

Ao ser recebido por Temer, Prata foi questionado sobre o assunto que o levara até o Palácio do Planalto, em Brasília. “Eu expliquei que estava sem o credenciamento, que precisava disso para continuar o trabalho em Fernandópolis e Jales. Ele então pegou o telefone, ligou para o Ministro da Saúde, e disse que mandaria pelo Baleia [Rossi – Deputado Federal] um pedido de credenciamento de uma entidade junto ao SUS. Desligou e pediu para que eu contasse toda a história. Foi o milagre de São Pedro”, relatou.

Segundo Prata, diante dessa nova situação, o Instituto de Prevenção de Fernandópolis não vai mais ser fechado e os pacientes vão continuar em atendimento normalmente. “Pelo menos, Jales sendo credenciado em um primeiro momento já nos ajuda. Nosso intuito não foi ameaçar o governo em nenhum momento. Só queríamos dividir com a sociedade uma angústia que vivemos há muito tempo e que precisávamos de ajuda”, afirmou.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Agora
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos