Dom - 22/07
29º 15º 20:58
Guaíra - SP

Restos de couro são encontrados em propriedade particular de Guaíra

Geral
Guaíra, 13 de agosto de 2017 - 10h18

A proprietária da área rural e a prefeitura fizeram boletim de ocorrência e notificaram a Cetesb. Lixo tóxico foi encontrado por perito da justiça ambiental

Localização dos três montes de resíduos de couro, na Rodovia que liga Guaíra à Miguelópolis.

Nesta semana, foram encontradas mais três montes de restos de couro dentro do município guairense, totalizando, aproximadamente, quatro toneladas. Dessa vez, a 6,2Km do Anel Viário que dá acesso a Guaíra, em uma estrada de terra dentro de uma propriedade rural, na Rodovia Paulo Borges de Oliveira.

O lixo tóxico foi localizado pelo perito da justiça ambiental e civil, Reginaldo Soares Barbosa, que voltava de Miguelópolis e estranhou a cor dessas pilhas cinzas, que contrastavam com a paisagem.

Tanto a proprietária da área quanto a prefeitura já fizeram boletim de ocorrência para resguardar direitos. A dona das terras também entrou em contato com a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

Uma denúncia foi protocolada no Ministério Público. Agora, a população espera que as autoridades tomem uma atitude, já que não é a primeira vez que Guaíra enfrenta problemas com o descarte irregular de detritos de couro.

Ainda não há acusados para o lixo tóxico também jogado na balança municipal e no antigo aterro sanitário, em junho do ano passado. Entretanto, provavelmente, há relação entre o crime ocorrido em 2016 e o desta semana.

COURO EM GUAÍRA

No dia 03 de julho de 2016, a vereadora Dra. Ana Beatriz Coscrato Junqueira denunciou o descarte irregular de entulho, lixo doméstico e industrial, dentre eles resíduos de couro altamente tóxicos no antigo aterro municipal, às margens da estrada de terra que liga a avenida José Flores à rodovia Assis Chateaubriand, a SP-425.

Foram encontradas toneladas deste detrito a céu aberto em uma área que não é apropriada para este descarte, uma vez não está autorizada por órgãos competentes para esta finalidade.

Pouco tempo depois, a parlamentar também descobriu montes deste mesmo lixo na balança municipal. A Dra. Bia então formulou representação no Ministério Público e às autoridades competentes, como a Polícia Ambiental e a Cetesb.

Na época, o governo declarou desconhecimento de tal crime ambiental e de que iria abrir investigação para apurar os responsáveis pelo descarte ilegal do couro em Guaíra. Porém, até o momento, mais de um ano depois, ninguém foi acusado.

Em junho de 2017, a Cetesb autorizou o governo municipal a remover os detritos. A prefeitura precisa transportar este couro para um depósito especial, em outro município, o que custará, somente com recepção e acondicionamento dos rejeitos, R$ 75 mil.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos