Qui - 19/07
28º 17º 14:20
Guaíra - SP

Sindicato mostra insatisfação com o aumento do governo oferecido aos servidores

Geral
Guaíra, 17 de Março de 2017 - 07h15

Com 0,25% de ganho real, prefeitura oferecerá 5% de aumento no holerite dos funcionários públicos neste ano. Para o presidente do SindServ, o impacto desse reajuste valoriza apenas os salários dos cargos comissionados

Na manhã de ontem (16), o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Guaíra, Rodrigo Borghetti, convocou a imprensa para anunciar o aumento do governo oferecido aos funcionários neste ano de 2017.

De acordo com a instituição, apesar de ter solicitado 4,5% de ganho real para o prefeito José Eduardo Lelis, a prefeitura acertou em 0,25% que, somado ao índice inflacionário (de 4,75%), totalizará em um aumento de 5% na folha do servidor.

O SindServ também havia pedido um reajuste na cesta básica do trabalhador (o valor atual é de R$ 430) para que se aproximasse do total sugerido pelo Procon ao Estado de São Paulo. Porém, o Executivo municipal irá reajustar R$ 30 a mais.

“Fomos bem recebidos pelo prefeito durante as negociações, mas não fomos bem atendidos. Nossa reivindicação, que era de 4,5%, se tornou em um ganho real irrisório, eu diria até humilhante. Ficamos decepcionados, no ano passado foram 2,7% de ganho real e esse ano 0,25%, não chega a 1%. É como se recebêssemos uma esmola na esquina”, disse Borghetti.

“A cesta, que pretendíamos passar para a do Procon, ou pelo menos que ele [José Eduardo] desse um salto para que no final de seu mandato pudesse chegar a esse valor, também caiu por terra. Foram apenas 30 reais de auxílio alimentação, o que não dá para comprar nem um botijão de gás, que atualmente está em 54 reais. O prefeito foi irredutível”, completou.

O presidente do sindicato fez uma comparação do impacto destes 5% no salário de um cargo comissionado e de um padrão mais baixo. “Esse aumento é irrisório para quem ganha salário até 3 mil reais. Já para os cargos de confiança do prefeito, vai representar bastante, em torno de 300 reais. O servidor de menor padrão terá 50 ou 60 reais de reajuste, ou seja, está ficando para trás, desvalorizado. Isso gera desmotivação do funcionário. Infelizmente vamos ter que conviver com isso até o final desse ano,até a próxima data base, quando será outra luta para que tenhamos um aumento realmente satisfatório”, explicou.

Agora, a instituição aguarda o retorno da atual administração referente às suas reivindicações. “Temos uma pauta de reivindicação, com 22 itens e não abriremos mão. Nosso lema agora é ‘nenhum direito a menos’”, confirmou Rodrigo, colocando o departamento jurídico do sindicato à disposição dos trabalhadores. “Quem elaborou em desvio de função nos últimos cinco anos, quem tem hora extra, insalubridade para receber, pode nos procurar.  Nós não concordamos com certas imposições da administração. Procuraremos os direitos dos servidores”, destacou.

Apesar de o governo municipal explicar o momento difícil em que se encontra os cofres públicos de Guaíra, o SindServ acredita que isso não deveria influenciar na valorização do trabalhador. “O servidor sabe que o prefeito herdou dívidas do antecessor, que ele está colocando a casa em dia e a gente até concorda, mas não adianta penalizar quem trabalha, tem que culpar que fez, que causou isso. Tem que buscar a condenação do outro prefeito, o ressarcimento e que pague pelo que fez. E não descontar isso no servidor. Parece que nós estamos sendo responsabilizados pelos erros do prefeito anterior e isso não é justo”, finalizou.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos