Vereador afirma que fazem uso político de denúncia contra esporte

Moacir João Gregório denunciou que estão jogando pais de alunos da área de esportes contra ele

Moacir João Gregório durante a visita à quadra de esportes Ramize Elias, que não foi utilizada para a prática esportiva mesmo constando no relatório da empresa.

Durante pronunciamento na última sessão ordinária da Câmara, realizada nesta terça-feira (10), o vereador Moacir João Gregório, autor de denúncia junto ao Ministério Público sobre a terceirização das atividades desenvolvidas pela área de esportes do município, denunciou que essa representação tem gerado alguns questionamentos de pais de alunos das escolinhas de base da área esportiva.

Para ele, algumas pessoas ligadas ao setor estão fazendo uso desta denúncia no MP para justificar a possível paralisação das atividades nos bairros e lhe culpando pela suspensão das aulas. “Estão tentando colocar os pais contra mim, o que não aceito. Fiz uma denúncia porque tenho que cumprir com meu papel de fiscalizador e foi acatada pela Promotoria. A atual gestão tem que aprender a ser legalista e respeitar a aplicação dos recursos públicos. O cidadão deve ter a consciência que não devemos aceitar que o dinheiro público seja mau empregado. É responsabilidade de todos, principalmente do gestor que não está lidando com o setor privado, mas sim público”, comentou.

Além de apresentar possíveis irregularidades no processo de terceirização das atividades, o parlamentar incluiu também indícios de que alguns serviços prestados pela empresa terceirizada pela prefeitura não estariam sendo realizados. Dentre as falhas detectadas por Moacir estariam aulas no complexo esportivo “Ramize Elias”, que está em reforma desde o primeiro semestre e atividades esportivas na quadra do bairro Abdala Elias que, segundo testemunhas ouvidas pelo edil, nunca recebeu profissionais da área.

“Eu sou praticante de esportes e faço questão de estar presente em todas as competições. Valorizo o esporte como mecanismo para formarmos cidadãos. O que estou fazendo é apenas exercendo o meu papel. Se na visão da atual administração não existe irregularidade, pois bem, que continue com os serviços da empresa e deixe este vereador e o Ministério Público trabalharem. Eu não vou fechar os olhos para qualquer tipo de injustiça que venham a cometer contra a minha população”, frisou ele.

O CONTRATO

A prefeitura municipal contratou a empresa PHR Caetano Produções Esportivas, Culturais e Educacionais, para desenvolver projeto na área de esportes do município. O valor empenhado para pagamento desta empresa foi em R$ 239 mil. O primeiro valor pago ocorreu em junho deste ano, no valor de R$ 37.526,00. Já foram efetuados cinco pagamentos que juntos totalizam R$ 204.936.01, restando pouco mais de R$ 34 mil a serem pagos em novembro.

De acordo com Gregório, diante de uma possibilidade de irregularidade na contratação e execução do objetivo da mesma, a atual administração busca achar um culpado por sua má gestão. “Eles não conseguiram fazer um procedimento regular e muito menos fiscalizar a execução do que foi contratado. Agora querem jogar nas minhas costas a culpa de sua incompetência. Não aceito este tipo de manobra. Que a população entenda que devemos fiscalizar o recurso público, pois só assim teremos serviços de qualidade e atividades esportivas em todos os bairros”, destacou.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *