Sobre o machismo nosso de cada dia

Opinião
Guaíra, 25 de fevereiro de 2018 - 10h47

Por Inara Lacativa

Sem qualquer tom de feminismo ou vitimismo, posso afirmar cada vez mais, com mais certeza, o quanto o machismo ainda é presente, irritante e desgastante para as mulheres.

Ter um parceiro machista é escolha. Se te incomoda, você pesa na balança e cai fora se o cara te causa problemas.

Difícil é quando você passa a conviver em um meio profissional onde a maioria dos cargos é ocupado por homens e, entre eles, existem aqueles (e são muitos), que odeiam o fato de você estar ali.

Tem homem que tem pavor de mulher forte. Forte no sentido de coragem, de ter opinião, de expressar o que pensa e não aceitar baixar a cabeça no primeiro grito dele e, principalmente, por ter mais atitude e coragem do que ele.

Tem homem que chama mulher de louca, mas é totalmente desequilibrado, imaturo e faz isso porque não tem argumentos.

Flavio Gikovate, um grande psiquiatra, já escreveu várias vezes sobre como a grande maioria dos homens só se sente confortável ao lado de uma mulher que ele a considera mais fraca – ou menos – do que ele.

Muitos gostam de se sentir mais inteligentes, mais preparados e cultos, afora, é claro, a superioridade física.

Isso fica muito claro quando uma mulher assume uma posição em que ninguém pode interferir em suas decisões.

Posso dar vários exemplos que aconteceram comigo ao longo de anos tendo que lidar com homens que ocupam ou almejam cargos “importantes”.

Quantos “nãos” ou opiniões eu disse que me renderam perseguições, mentiras a meu respeito, gritos de homens “respeitados”.

Sobra vaidade, falta respeito.

São homens que te interrompem o tempo todo no meio de reuniões (manterrupting), que querem explicar coisas óbvias somente para desmerecer seu conhecimento (mansplaining) e, pior, tentam te diminuir diante dos outros no grito, querendo passar a imagem de que você não os respeita e você é desequilibrada (gaslighting).

Sim, existem até termos em inglês que identificam esses comportamentos.

Que mulher nunca passou por isso?

Esse machismo é tão enraizado que muitas vezes outras pessoas, homens e mulheres, presenciam este tipo de comportamento e nada fazem.

É difícil lidar com o ego de homens que estão acostumados a tratar mulheres como seres inferiores. É desgastante o tempo todo ter que aguentar e ter jogo de cintura para não perder o bom senso como eles perdem.

Infelizmente, ainda não é fácil para mulheres terem o mesmo respeito que alguns homens julgam merecer mais do que elas.

Então mães, mulheres, esposas… Criem seus filhos para respeitarem mulheres corajosas como vocês são, porque é triste demais ver homem criado como “macho superior” cantando de galo pra cima de mulheres em pleno ano de 2018.


TAGS:

Inara Lacativa

Inara Lacativa – Jornal O Guaíra.

Ver mais publicações >

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente