Acusado de matar Elvis Alvarenga é condenado a mais de 23 anos de prisão

Um dos suspeitos foi inocentado. Outro corréu ainda aguarda julgamento. Crime ocorreu em julho de 2017

Cidade
Guaíra, 19 de novembro de 2019 - 10h18

  • Acusados do crime contra Elvis foram julgados na última semana

No último dia 11 de novembro, após quase dez horas de audiência no Fórum da Comarca de Guaíra, o júri decidiu pela condenação do acusado D.V a pena de 23 anos e 4 meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado contra a vítima Elvis Alvarenga, assassinado em julho de 2017.

O Juiz Anderson Valente leu o teor da sentença após decisão do conselho de sentença formado por sete jurados. De acordo com o advogado da família da vítima, a audiência transcorreu o mais tranquilo possível. ”Durante toda a manifestação da defesa da família, cogitou-se que a família cigana vinha promovendo uma série de ameaças. Na verdade, a posição dos familiares, para contrariar essa fala, foi a contratação de um advogado como assistente de acusação e não trocar ameaças da ‘suposta guerra’ que todo mundo imaginou pelo fato do Elvis ter sido morto” disse o Dr. Julio César.

Foram julgados dois suspeitos do crime. Um terceiro, como está com processo aguardando julgamento em recurso em São Paulo, não participou. Foram ouvidas testemunhas de defesa e acusação, inclusive pessoas que estiveram com Elvis no momento em que foi alvejado.

Segundo o assistente de acusação, D.V foi ouvido e negou seu envolvimento. Entretanto, foi condenado em todos os quesitos votados. ”Por auxiliar na execução do delito, por responsabilidade dos apetrechos encontrados na casa de sua mãe, pelos encontrados na casa do C. e por ser parte integrante do PCC, ele recebeu pena de 23 anos e 4 meses em regime fechado. Como os crimes de porte de arma e homicídio triplamente qualificado são hediondos, ele terá que cumprir 2 ou 3 quintos dessa pena para progredir ao sistema semiaberto”, explica o profissional.

O outro réu confessou estar portando um carregador com munições, encontrado em sua casa, mas foi inocentado. ”Embora ele tenha confessado posse e propriedade dos apetrechos encontrados na casa dele, foi absolvido porque o Ministério Público entendeu que ele estava tentando assumir responsabilidade dessas questões para beneficiar o D., que é o real responsável.” Para Dr. Julio, o sentimento da família de Elvis é de que ”a justiça foi feita” mesmo ainda aguardando outros dois júris.


  • Elvis foi assassinado em frente a sua residência, em julho de 2017

Relembre o Caso

Elvis Alvarenga, vulgo Elvis Cigano, foi assassinado em julho de 2017. O crime ocorreu em plena luz do dia, sendo a vítima atacada por disparos de arma de fogo e de espingarda calibre 12 em frente à sua residência, na Avenida José Cavenaghi, entre as Av. 29 e 31, no bairro Jardim Alegria. De acordo com o boletim de ocorrência, um veículo Vectra, cor prata, abordou o jovem e indivíduos atiraram diversas vezes, fugindo e abandonando o carro em um canavial.

Diante disso, foram efetuadas diversas diligências investigatórias, que culminaram na identificação dos suspeitos. Em uma das residências em que foram efetuadas as buscas, foi apreendida uma pistola calibre 40, furtada de um policial militar em São José do Rio Preto, que pode ter sido utilizada no crime, além de munições, maconha e crack. Em outro endereço, ainda foram localizados carregadores de pistolas calibre 380 e 9mm, além de munições 9mm e outros objetos de interesse da investigação.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos