Ameaça de possível ”massacre” na escola Enoch deixa alunos e diretoria em pânico

Segundo a diretora, um aluno seria o possível autor da publicação nas redes sociais, pois em seu WhatsApp havia evidências de que ele faria o crime

Cidade
Guaíra, 5 de dezembro de 2019 - 10h09

Na noite da última segunda-feira, 02, a publicação nas redes sociais de um possível aluno da escola estadual Enoch Garcia Leal, em Guaíra, deixou estudantes, pais, professores e diretoria em pânico. Em sua postagem, no Facebook, um perfil de nome ”Saky Souza” declara ”Já estou cansado de vocês, a anos venho sofrendo nessa droga de escola e nunca ninguém fez nada… Odeio vocês, fiquem espertos pois farei uma surpresinha pra vocês no dia 03/12… uma surpresinha onde haverá muitos corpos no chão e sangue escorrendo”.

Segundo a diretora Conceição Ap. Tosta Moura, mais conhecida como Cêssa, tudo não passou de um boato, mas que acabou causando muitos transtornos no andamento das atividades da instituição. ”A gente vê pela televisão e nunca acha que a escola da gente está sujeito, mas onde tem pessoas pode acontecer de tudo. Fomos surpreendidos com essa postagem. De primeiro achei que fosse algum engraçadinho querendo boicotar as provas, porque terça (03) era o último dia de prova bimestral. Fiquei muito chateada, porque houve um pânico para todos e acaba interferindo no andamento da escola. Parei tudo porque só respondia aos pais e responsáveis por telefone, pessoalmente, tentando acalmar todos” conta.

De acordo com ela, após receber a mensagem sobre a ameaça, a primeira atitude foi entrar em contato com a Polícia Militar. ”O capitão prontamente me atendeu e me tranquilizou de que a escola teria todo o apoio da PM e assim aconteceu.”

Cêssa afirma que há um suspeito, pois ela recebeu uma mensagem via WhatsApp de um certo aluno, de que ele havia postado no grupo de sua turma de que iria fazer e convocava os outros para verem o que seria feito. ”Na terça, cheguei bem cedo e já estava todo o policiamento conforme o capitão havia se comprometido e nós já conversamos com o aluno, ele negou veementemente, mas, por conta da evidência na rede social, convoquei os pais dele para virem até a escola e nós fizemos um boletim de ocorrência”.

O garoto negou ser o autor da postagem. ”Mas ele é suspeito, porque tinha evidências no WhatsApp dele de que ele faria isso, tinha a intenção. Mas isso agora não está mais sob nossa governabilidade, mas sim da polícia, para detectar de onde surgiu essa mensagem que causou pânico em todos nós” afirma Cêssa.

Quanto ao comportamento do aluno suspeito, a diretora declara que ele não é uma pessoa que dá trabalho. ”Ele não é indisciplinado, é quieto, na dele, de poucas amizades, mas não é uma pessoa que chamava atenção por ser conflituoso ou indisciplinado. Nada disso. É um aluno que já concluiu e não está aqui mais. Esperamos que de fato não seja ele, que seja uma brincadeira de outra pessoa, pode não ser aluno da escola, mas, agora, a gente vai esperar aí todo o rastreamento da polícia para chegar ao autor, que tem que ser punido, seja quem for” finaliza.


Confira a seguir o Print do texto publicado…



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente