Combate à Dengue deve continuar nas semanas do inverno

Geral
Guaíra, 14 de junho de 2016 - 08h04

O município confirmou neste ano um caso de zika vírus e um de chikungunya. Guaíra também registrou três positivos de H1N1

Mesmo com a queda drástica no número de casos, os cuidados para evitar a dengue devem ser mantidos. A equipe de Combate à Dengue está mantendo seus funcionários nos trabalhos de rotina de casa em casa, imóveis especiais e a orientação perene sobre a necessidade e os métodos para evitar a proliferação do Aedes aegypti, o transmissor da dengue, zika e chikungunya.

“Manter quintais e terrenos limpos, tratar ralinhos com sal de cozinha, evitar pratinhos sob vasos de plantas, lavar sempre os bebedouros de animais são algumas das ações imprescindíveis para conter a infestação do mosquito. O que vale é eliminar qualquer recipiente ou local que possa acumular água”, destaca o diretor de Vigilância em Saúde, Mauricio Alves.

No final de 2015 e começo de 2016 Guaíra passou por uma epidemia de dengue de grandes proporções e o avanço da doença só foi freado com o esforço conjunto do poder público e população. “Neste momento, quando estamos nos meses frios do ano e com a redução dos casos, a população pode pensar que a dengue está controlada, mas não é realidade. Neste período é que devemos ficar atentos. A prevenção da dengue é feita nos meses frios. Este ano que as chuvas foram mais intensas, temos que nos preocupar mais. Eliminar os criadouros agora vai reduzir muito o número de casos no verão”, ressaltou Marcelo Nogueira Valentim, da Unidade de Combate à Dengue.

Depois de registrar 1.214 casos em janeiro, o número de casos confirmados de dengue caiu para 11 em maio e nenhum (até dia 13) em junho (Tabela em anexo).

“A queda vertiginosa ocorreu ainda durante os meses quentes e muito chuvosos. Isso deve-se ao denso trabalho realizado pela Prefeitura em todas as frentes do combate, tendo o apoio da população que entendeu sua parcela de responsabilidade e atuou ao lado dos servidores públicos e voluntários”, explica Maurício.

Acentuando o enfrentamento ao vetor as equipes regulares da Secretaria de Saúde ganharam o aporte de pessoal, com 16 Agentes de Controle de Endemias – temporários – que já estão em campo na luta contra o mosquito.

Quanto as demais doenças infecciosas causadas pelo mosquito, neste ano Guaíra registrou um caso zika e um de chikungunya.

 

Segue alguns cuidados para evitar o Aedes aegypti

-Primordial é evitar água parada;

– Sempre que possível, esvaziar e escovar as paredes internas de recipientes que acumulam água;

-Manter totalmente fechadas cisternas, caixas d’água e reservatórios provisórios tais como tambores e barris;

-Limpar periodicamente, calhas de telhados, marquises e rebaixos de banheiros e cozinhas, não permitindo o acúmulo de água.

-Jogar semanalmente desinfetante (ou sal de cozinha) nos ralos externos das edificações e nos internos pouco utilizados;

-Drenar terrenos onde ocorra formação de poças;

-Não acumular latas, pneus e garrafas;

-Encher com areia ou pó de pedra poços desativados ou depressões de terreno;

-Não despejar lixo em valas, valetas, margens de córregos e riachos, mantendo-os desobstruídos;

-Se tiver sintomas como: febre, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, náuseas e vômitos, tonturas, dores nos ossos e articulações procurar atendimento médico o mais rápido possível.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente