DEAGUA alerta população para evitar entupimentos de bueiros

Segundo o departamento, varrer a sujeira para dentro das bocas de lobo pode ocasionar mau cheiro e criadouros do mosquitos da dengue, ratos, baratas e escorpiões

Cidade
Guaíra, 2 de setembro de 2019 - 11h14


Frequentemente, o Departamento de Esgoto e Água de Guaíra tem que promover limpeza em bocas de lobo, galerias e escoamento de água das chuvas, na maioria das vezes, porque estão entupidos com folhas de árvores, lixo doméstico ou terra. De acordo com o DEAGUA ”O frustrante é que o entulho vai parar no escoadouro por ação humana, de pessoas que residem próximo, as quais vão sofrer as consequências do equipamento de drenagem obstruído”.

O assunto surgiu na última semana, quando alguns moradores da Avenida Perimetral do bairro Eldorado reclamaram que a via não estava recebendo varrição corretamente, o que estava causando acúmulo de folhas secas próximo a um bueiro (foto). Para o chefe do departamento de Serviços Urbanos, Valter Junior, as varredoras estão trabalhando normalmente na região.

O DEAGUA aproveitou o assunto para alertar a comunidade a evitar o entupimento dessas bocas, que pode ocasionar mau cheiro e, ainda, criadouros do mosquito da dengue, entre outros transtornos. ”Um dos costumes prejudiciais é o de varrer folhas para valetas e bueiros da rede de drenagem da chuva. Estes dejetos, mesmo em época de seca, vão causar problemas, uma vez que, pelas sarjetas correm não só água das chuvas, mas também o fluxo contínuo de água de ‘lavação” afirma o governo municipal.

”Por outro lado, não raramente, as equipes do DEAGUA se deparam com lixo doméstico no sistema.  O detrito é simplesmente dispensado em valetas, ou mal acondicionado para a coleta, sendo carreado pelos elementos: vento e chuva” justifica a prefeitura.

Mais que uma questão de higiene, cidadania e proteção à saúde pública, bons hábitos de limpeza resultam em economia. Na avenida do bairro Eldorado, os moradores costuma varrer a frente de suas casas e formar ”montes” de folhas, que ficam aguardando a retirada através da varrição da prefeitura. Porém, alegam que não é sempre que são recolhidos. Dessa maneira, quando esses dejetos acumulam nas galerias, o DEAGUA é obrigado a limpar as valas, onerando os cofres públicos.

”Quando os funcionários da autarquia têm que retirar terra, lixo e folha de bueiro, eles deixam de executar a atividade fundamental do DEAGUA, que é o fornecimento de água potável e a coleta, afastamento e tratamento de esgoto. Os servidores da autarquia são necessários na manutenção das redes de água e esgoto, que em Guaíra, com veloz crescimento geográfico da zona urbana, demanda muito mais intervenções preventivas e corretivas a cada dia que passa” aponta o governo.

”Para cada cidadão, são pequenas mudanças de hábito que podem gerar muito benefícios para toda comunidade e economia de recursos públicos, que podem ser melhor utilizados em serviços de relevância para o cidadão, isso sem contar que estas boas práticas vão minimizar o aparecimentos de pragas nocivas: mosquitos, ratos, baratas e escorpiões” finaliza a prefeitura…



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente