De quem é a culpa?

Editorial
Guaíra, 21 de maio de 2019 - 08h30

Por que o guairense está deixando de se vacinar?

Em primeiro lugar, precisamos entender os motivos que levam a sociedade como um todo a adotar essa postura. Será que o problema é a disponibilidade dessa vacina? Ou o povo simplesmente decidiu não tomar mais as doses recomendadas? É preciso entender qual o peso de cada fator para, a partir daí, iniciar as ações que revertam esse cenário.

Esse é um fenômeno recente – deixar de se vacinar – que devemos encarar com toda a seriedade. Trata-se de um comportamento bizarro, pois os movimentos contra a vacinação são mais fortes nas regiões ricas e bem instruídas.

Acontece que muitas pessoas estudaram e tiveram a oportunidade de saber quanto as vacinas foram e são essenciais para se proteger das doenças. No Brasil, acreditamos que esse padrão (de não se vacinar) está se repetindo em grandes centros como Rio de Janeiro e São Paulo, nas regiões remotas da Amazônia talvez a dificuldade seja justamente o acesso aos programas de imunização mesmo.

Agora, a parte difícil é conseguir motivar indivíduos de todas as faixas etárias a tomarem as doses indicadas.

Em nossa cidade, as vacinas nunca faltaram, muito pelo contrário, estão sempre disponibilizadas nos postos de atendimentos.

Existe um depoimento de um brasileiro, que reside nos Estados Unidos, que diz: ”Tenho uma experiência com isso nos EUA para compartilhar. A vacina contra gripe ficou disponível para alguns grupos específicos por muitos anos, mas eles nunca iam aos postos de saúde a contento. Junto com as agências e os legisladores, decidiram disponibilizar esse imunizante nos mais variados lugares, como farmácias e supermercados. Hoje você só não toma esse imunizante no posto de gasolina”

Por aqui falta conscientização do próprio munícipe porque as campanhas não deixam ninguém sem informação.


TAGS:

LEIA TAMBÉM
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos