Para o povo? Os impostos!

Editorial
Guaíra, 14 de fevereiro de 2017 - 07h45

As informações abaixo são antigas, de 2014, mas de lá para cá nada ou pouca coisa mudou e a pesquisa para o artigo é da jornalista Raquel Sheheradaze.

“De botox a coroas de ouro: não têm limites os gastos dos políticos, nem a cara de pau de Suas Excelências. O plano de saúde dos senadores é uma coletânea de impropérios, um absurdo sob todos os aspectos!

É vitalício. É ilimitado. Extensivo a parentes e aderentes… Não tem fiscalização. Não passa por perícia. Não exige qualquer contribuição ou contrapartida. E o pior: é bancado com dinheiro público. Ou seja, a conta dos gastos deles é bancada por você, desavisado contribuinte.

Pena que esse privilégio não é exclusivo dos senadores! O plano de saúde “na faixa” é extensivo à Câmara dos Deputados e, também, ao Executivo, onde presidente e ex-presidentes são tratados bem longe dos hospitais públicos que eles tão mal administram.

Essa é a lógica do Estado: a gente paga a saúde VIP dos políticos e, em troca, eles nos bancam o SUS. Em outras palavras, para os amigos do rei, o luxo. Para o povo, os impostos.”

E sabem de quem é a culpa por tamanha imoralidade? Nossa! Somos nós que votamos nos “homens” que fazem estes tipos de leis, somos nós que não fiscalizamos o que “eles” fazem quando estão reunidos, somos nós que damos suporte para que tenham tanta mordomia e regalias, para que sejam tratados como pessoas especiais. Somos nós que pagamos o apartamento onde moram, pagamos também as reformas e os móveis novos, assim como também pagamos a frota de carro que servem “suas excelências” e que é trocada a cada dois anos.

E se brincarmos, todos eles estarão lá novamente na próxima gestão, validados com o nosso voto, claro!


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA TAMBÉM
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente