Guaíra está com baixa aderência à campanha de vacinação contra a gripe

No público geral, o município atingiu o percentual de 62,73%. A Secretaria de Saúde alerta para a necessidade da vacinação, que termina no próximo dia 31 de maio

Saúde
Guaíra, 21 de maio de 2019 - 08h30


A campanha de vacinação contra a influenza realizada pelo Ministério da Saúde termina no próximo dia 31 de maio e, até o momento, Guaíra não alcançou os 90% do público-alvo previsto. No município, foram imunizados um total de 62,73% de pessoas dos grupos prioritários, porém, grande parte dos contemplados ainda não procurou as USF’s – Unidades de Saúde da Família, que ficam abertas o dia todo.

De acordo com a enfermeira da secretaria municipal de saúde, Ana Carolina Minoda, é de extrema importância que todos os grupos prioritários compareçam aos postos de saúde. ”Pedimos aos pais para que levem seus filhos, às gestantes e puérperas, aos idosos e pacientes crônicos que tomem a vacina, capaz de evitar complicações futuras, como pneumonias”, disse.

Faltam pouco mais de 4.000 guairenses para tomarem a dose, esses são: Idosos, pacientes com doenças crônicas, Crianças de seis meses até seis anos incompletos, trabalhadores da área da saúde, entre outros.

A preocupação de algumas pessoas é se a medicação pode provocar a doença, mas Ana Carolina afirma que isso não ocorre. ”A vacina não provoca gripe em quem tomar a dose, pois é composta apenas de fragmentos do vírus que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença.”

Faltam apenas 11 dias para acabar a campanha, por isso é essencial que aqueles dentro do quadro prioritário procurem o posto de saúde mais próximo de sua residência. São eles: Indivíduos com mais de 60 anos, Crianças de 6 meses até 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias de idade), Gestantes, Mulheres que tiveram um filho nos últimos 45 dias (puérperas), Trabalhadores da área da saúde, Professores de escolas públicas e privadas, Povos indígenas, Portadores de doenças crônicas e outras condições clínicas; Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas; População privada de liberdade; Funcionários do sistema prisional; e portadores de doenças crônicas.




Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Saúde
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos