A crença em todos os profetas

Opinião
Guaíra, 19 de agosto de 2015 - 15h04

Outro pilar da fé islâmica, consiste em crer  em todos os  mensageiros enviados por Deus, dando assim  sentido à nossa vida através da orientação que trouxeram até nós. Deus ordena a fé nos mensageiros que trouxeram a orientação ao homem, conforme vem relatado no alcorão: Dize: Cremos em Deus, no que foi revelado a Abraão, a Ismael, a Isaac, a Jacó e às tribos, no que, de seu Senhor, foi concedido a Moisés, a Jesus e aos profetas, não fazemos distinção alguma entre eles, porque somos, para Ele, muçulmanos (submissos) (3:84). É um sistema de comunicação entre o Criador e a criatura.  Deus não envia anjos para todo indivíduo, nem Ele abre os céus de modo que as pessoas possam subir para receber a mensagem.  A Sua forma de comunicação é através de profetas humanos que recebem a mensagem. Ter fé nos profetas (ou mensageiros) é acreditar firmemente que Deus escolheu homens de moral elevada para carregar Sua mensagem e passá-la para a humanidade através de anjos. Várias são as razões do envio dos Profetas, entre elas: Orientar a humanidade na adoração correta,  que essa vida é um teste para cada indivíduo, orientar a humanidade o caminho correto que a levará ao Paraíso e à salvação do Inferno, estabelecer provas contra a humanidade pelo envio dos profetas, de modo que as pessoas não terão desculpa quando forem questionadas no Dia do Juízo,  revelar o “mundo” invisível que existe além dos sentidos normais e do universo físico, como o conhecimento de Deus, a existência dos anjos, e a realidade do Dia do Juízo, fornecer aos seres humanos exemplos práticos para viverem vidas com moral, virtuosas, orientadas por um propósito e livres de dúvidas e confusões, purificar a alma de materialismo, pecado e negligência, etc O alcorão sagrado cita 25 profetas enviados por Deus, dentre eles Abraão, Moises, Jesus e o derradeiro Muhamad (que a paz e a benção de Deus esteja com todos eles), sendo que na realidade estudiosos afirmam que foram enviados 124 mil profetas, vindo alguns apenas a admoestar um família, outros uma cidade, outros um país, etc. O primeiro Profeta foi Adão, que a paz de Deus esteja com ele, sendo o pai da humanidade, onde muitos  vinham com milagres, pois era necessário em cada época para que o ser humano realmente tivesse a convicção da veracidade da mensagem. O Profeta Moises foi enviado em uma época em que a magia estava à prova, tanto que o mesmo por ordem de Deus, abriu o mar, transformou seu cajado em serpente, etc, desbancando assim os mágicos e poder do Faraó. Jesus veio na época em que a medicina  era a detentora de superioridade entre o povo de Israel, tanto que através da ordem  de Deus ele curou o cego, o leproso, ressuscitou o morto, etc. E Muhamad (que a paz e a benção de Deus esteja com todos eles) o derradeiro e último foi enviado como Misericórdia para a humanidade, sendo que reinava em sua época a eloqüência da poesia entre os árabes, vindo o alcorão a ser recitado de uma forma que nenhuma pessoa até hoje conseguiu fazer algo parecido, além do mesmo ser preservado contra qualquer alteração do homem até o dia de hoje e do juízo final. Deve-se ressaltar ainda que quando o Alcorão foi revelado a humanidade se encontrava totalmente perdida, pois mulheres eram enterradas vivas, não tendo qualquer direito de herança ou divórcio, ídolos eram adorados, etc, sendo esta prova mais do que suficiente que os livros e profetas anteriores não foram suficientes para admoestar o ser humano, vindo assim o alcorão, através de DEUS a corrigir e implantar a justiça para as pessoas. Os profetas eram conhecidos, como Mensageiros nacionais ou locais, onde a maioria dos mensageiros foram enviados para o povo de Israel, com exceção de Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), que foi enviado para toda a humanidade. Os Mensageiros encarregados de guiar a humanidade pelo bom caminho de Deus, sem nenhuma exceção, eram mortais, seres humanos, eles foram servos adoradores de Deus., eles comiam, bebiam, dormiam, ficavam doentes e viviam vidas humanas normais.  Eles não tinham poder para fazer ninguém aceitar suas mensagens ou para perdoar pecados.  O conhecimento deles do futuro era limitado ao que Deus lhes revelou.  Eles não tinham participação na administração dos assuntos do universo. O próprio profeta Jesus, que Deus o abençoe, demonstrou ser um mortal e ser humano, como vemos em Lucas 18-19 : E perguntou-lhe um certo príncipe, dizendo: Bom Mestre, que hei de fazer para herdar a vida eterna? Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Não há ninguém que seja bom, a não ser Deus. Deste modo o muçulmano deve reconhecer todos os profetas sem distinção de qualquer um, onde um vinha completando o outro de acordo com cada época até a chegada do último livro, o alcorão sagrado, que será guia e código de vida para todos os seres humanos até o final dos tempos. Por fim os muçulmanos acreditam e seguem os ensinamentos de todos os Profetas e Mensageiros, como pessoas que ensinarem o bem, a boa conduta, amor ao próximo, etc, onde adoramos apenas a Deus Único, sem sócios, filhos ou parceiros.


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente