A fé conforme o islamismo

Opinião
Guaíra, 28 de maio de 2016 - 08h13

A fé dos muçulmanos esta alicerçada sobre seis pilares, que são: Fé em Deus Único; Fé nos Anjos; Fé nos Livros Sagrados originais enviados por Deus; Fé nos Profetas; Fé na Predestinação, Fé na Ressurreição e no Juízo Final. A fé significa: Consentir no coração o que a língua profere, e pôr em prática. Porém, se alguém proferir com a língua e praticar, mas não consentir no coração, não pode ser chamado “fiel”. Deus diz no alcorão: “Só são crentes aqueles cujos corações, quando lhes é mencionado o nome de Deus, estremecem e, quando lhes são recitados os Seus versículos, é-lhes acrescentada a fé e confiam em seu Senhor. São aqueles que observam o oração e fazem caridade com aquilo com que os agraciamos. Estes são os verdadeiros crentes.”[Al-Anfal 8:2-4]. Quando a fé entra no coração, regista uma vasta segurança e tranquilidade. Portanto, a fé cresce e diminui. Cresce com obediência e diminui com a prática de atos abomináveis. Enquanto que os anjos, a fé deles é estável, intacto, porque eles não têm a natureza de desobedecer. O profeta Muhamad SAW disse que: “Quem tiver três qualidades, esse já provou o sabor da fé da primeira classe: 1- Aquele que ama Deus e Seu mensageiro mais do que nada; 2-Aquele que ama uma pessoa somente pela causa de Deus e; 3- Aquele que detesta o retorno de um pecado que antes praticava, do mesmo jeito que detestaria que fosse lançado ao fogo infernal”. Tais características demonstram que devemos seguir as ordens de Deus e abster-se do que foi proibido, seguindo a tradição autêntica dos profetas, sem qualquer deturpação ou contradições. Quando há o amor pela causa Deus, encontramos sinceridade, pois este é o verdadeiro amor, sem qualquer interesse, vantagem em relação aos outros, desejando para si o que deseja aos outros. Quando temos fé verdadeira necessitamos de um guia e prova daquilo que sentimos, e essas provas são as orações, caridade, boa conduta, etc, ações e práticas constantes que corroboram esse amor verdadeiro por Deus. Para explicar esse conceito os sábios muçulmanos vincularam a fé a uma árvore.  A crença no coração é considerada a raiz; está oculta sob a superfície e não é visível aos olhos.  Ainda assim, a raiz é o que dá à árvore uma fundação firme, sem a qual não haveria árvore alguma.  As obras são consideradas o que está aparente acima da superfície, como o tronco e os ramos das árvores e seus frutos.  Essa é uma das razões por que é impróprio debater “fé versus obras”; uma pessoa pode comparar uma árvore com outra, mas seria inválido comparar uma árvore (fé) com seus ramos (obras).  Entretanto, se compararmos crença no coração às ações dos membros, então sabemos que a primeira é a raiz ou fundação, enquanto que a última é o ramo; a raiz ou fundação é sempre mais importante que um ramo.  Um ramo pode cair e a árvore continua de pé ou brota um novo, mas se cortarmos a raiz a árvore inteira cai e cessa de existir. A crença no coração é a fundação da árvore da fé, sem a qual ela morre.  Boas obras são o tronco e os ramos dessa árvore; se não existirem ramos e somente uma raiz, em essência não haverá árvore e frutos. Quanto mais ramos existirem, mais perfeita será a árvore.  Sendo assim, dizemos que a base da fé é a crença do coração, mas ela é incompleta sem boas obras. Enquanto uma árvore não é uma árvore sem seu tronco e ramos, uma árvore não pode se manter de pé sem sua fundação ou raiz.


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente