Arrancar cascas e cutucar velhas feridas é só o que sabem fazer

Opinião
Guaíra, 23 de janeiro de 2016 - 10h00

Acompanhando a política local é possível constatar que o conceito de oposição vem sendo praticado de maneira incorreta, e de forma desinteligente. Não é difícil enumerar alguns pré-candidatos que utilizam a crítica e fazem dela uma arma destrutiva na tentativa de denegrir e manchar com os erros a campanha do adversário, para que posteriormente, possa se beneficiar da situação. Estes figurões fazem de escada todo e qualquer projeto fracassado. São oportunistas trabalhando em cima do erro alheio. Ouvimos diariamente a população reclamando e reivindicando melhorias nos serviços prestados pelo município, mas é inaceitável que um político de oposição critique sem ao menos citar uma alternativa plausível para solucionar o problema em questão. Esse tipo de ação é conhecida como politicagem e está ultrapassada. Devemos implantar o mais breve possível uma nova política que traga soluções verdadeiras e viáveis para o benefício coletivo e propor soluções verdadeiras e bem planejadas para a população de nossa cidade. Além disso, é essencial analisar as falhas em projetos que não deram certo para que esses erros não voltem a ser cometidos no futuro. Acredito que ser oposição é fazer críticas construtivas em prol do benefício da população. Por esse motivo, ao invés de fazer críticas infundadas e que não passam de tentativas de atingir o lado pessoal de um adversário, prefiro investir o tempo analisando como a população gostaria que nossa cidade fosse conduzida, para que no futuro, possamos lutar para implementar em nossa cidade. Enquanto ainda houver dez ou vinte a prestigiarem e servirem de plateia, sempre existirá políticos desesperados expondo os erros e dando audiência, sem buscar uma alternativa viável para o problema. Com isso dificilmente as intenções daqueles que realmente agem com seriedade visando o futuro serão conhecidas e compreendidas. Deixar de dar atenção é uma maneira eficaz para extinguirmos políticos sem caráter dos assuntos públicos, esses que deixam de arquitetar projetos por conta do anseio de derrubar o próximo ou mesmo se beneficiar da máquina pública. Eu gostaria que, a partir de hoje, logo após o término desta leitura, você começasse a observar à sua volta e analisar os políticos que se prestam a permanecer por semanas no informativo das rádios e nas manchetes dos jornais guairenses. Tire suas conclusões e quando me encontrar me responda: Qual a linha de conduta dos atuais políticos, autoridades e pré-candidatos? O que farão os políticos adeptos do cutucar feridas e pisar em calos para atingir desse modo desonesto os candidatos honestos? Como vão se destacar se não podem atingir um homem íntegro e direito? Eu me arrisco a afirmar que terão que subir o nível para disputar as próximas eleições, pois haverá candidato defendendo a Política (com “P” maiúsculo, que tem o poder de transformar positivamente a vida das pessoas) e não a politicagem. A população está cansada de promessas fundadas em necessidades básicas, pois isso é o mínimo que qualquer gestor deve prover para um município e seus cidadãos. É uma atitude covarde proveniente de seres inescrupulosos que há anos vem deixando chagas profundas no subconsciente dos guairenses. São promessas que marcaram o povo como o ferro marca o gado, e esta marca transparece no rosto, no olhar de cada mãe e pai de família, é o medo desta marca que afasta cada dia mais os jovens da política. Nós que estamos em constante evolução jamais abriremos mão de lutar e exigir que lutem por nossa Guaíra. Estou engajado para que se estabeleça essa nova política, de caras novas, mentes inovadoras e fichas limpas.


TAGS:

Flávio Tavares

Flávio Tavares, Porteiro da Tomilho – Guaíra.

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente