Como interpretar a linguagem corporal?

Opinião
Guaíra, 19 de julho de 2017 - 09h52

No ambiente de trabalho, quais são os principais cuidados que precisamos ter com as nossas expressões corporais? Será que a nossa linguagem não verbal está coerente com o que dizemos, por exemplo, durante uma reunião ou negociação? Um erro muito comum das pessoas é não prestar atenção em suas próprias expressões e nas expressões de quem está ao redor no dia a dia.

O primeiro passo para compreender o que o corpo diz é acompanhar o movimento da outra pessoa – é a chamada técnica do espelhamento. Nós temos cinco bilhões de neurônios-espelhos que têm uma função: espelhar em nosso próprio cérebro as ações do outro. Quando prestamos atenção nas ações do outro, ativamos a empatia e a compaixão e, de forma sutil e elegante, seguimos a postura, a expressão do rosto, os movimentos dos braços, o tom e o ritmo da voz, a forma com que as palavras são empregadas. É como se o outro estivesse de frente ao espelho e, com o surgimento de um sentimento de confiança, a comunicação se torna mais agradável.

Ao entender esses pontos básicos da expressão corporal, fuja da superficialidade. Olhe nos olhos da pessoa com a qual está se comunicando para, assim, passar a mensagem de que está atento, presente na conversa e de que irá transmitir confiabilidade. Fugir do olhar cria um sentimento de desconfiança, e isso no ambiente de trabalho não é nada bom.

Outra dica para desenvolver no seu dia a dia: exercite sorrir internamente. Ao fazer essa ação, ativamos uma parte do cérebro responsável por lembranças positivas, o que nos conduz a uma comunicação leve e confiável. É importante, por exemplo, para encontrar a solução de um possível problema, pois passamos a mensagem de otimismo e segurança.

A próxima etapa é entender o tom de voz. Seja flexível e acompanhe o ritmo do interlocutor para criar sintonia e estabelecer empatia, uma relação de proximidade. Porém, se a outra pessoa fala de uma maneira muito acelerada, diminua o seu tom para estabelecer outro espelhamento – assim, ela seguirá com o seu ritmo e amenizará a ansiedade.

E a forma de se vestir? Já reparou que isso pode revelar muitas características comportamentais? Se o ambiente de trabalho não exige roupas formais, permita-se utilizar peças informais, porém cuidado para não utilizar vestimentas que transmitam um ar de relaxo ou descontração demais. Roupas limpas e bem passadas revelam uma imagem de alguém cuidadoso e organizado.

Claro que esses são os pontos mais simples para evidenciar uma leitura corporal. No entanto, é preciso compreender profundamente o estado emocional das pessoas para criar uma estrutura coerente com o objetivo e a proposta que deseja no ambiente de trabalho.


TAGS:

Eduardo Shinyashiki

Eduardo Shinyashiki é palestrante, consultor organizacional, especialista em desenvolvimento das Competências de Liderança e Preparação de Equipes. Presidente da Sociedade Cre Ser Treinamentos, Eduardo também é escritor e autor de importantes livros como Transforme seus Sonhos em Vida, da Editora Gente, sua publicação mais recente. www.edushin.com.br.

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente