Ética, um dos princípios do Islã

Opinião
Guaíra, 12 de fevereiro de 2017 - 07h23

O Islã como código de vida estabelece princípios que vão além do culto religioso, abrangendo toda a sociedade.  A moralidade existente em um País faz com que as pessoas tenham segurança, tranquilidade, confiança, etc. e quando a mesma não é aplicada o declínio é certo, seja com o aumento da criminalidade, inversão dos valores, decadência das instituições, etc.

Dada sua importância em uma sociedade saudável, o Islã apoia a moralidade e questões que eliminam qualquer pratica de corrupção, fazendo com que as virtudes das pessoas prevaleçam.

O Profeta Muhamad SWS, resumiu a conduta de um muçulmano quando disse: “Meu Sustentador me deu nove comandos: permanecer consciente de Deus, em público ou em privado; falar de maneira justa, esteja zangado ou satisfeito; demonstrar moderação estando pobre ou rico, reunificar a amizade com aqueles que se afastaram de mim; dar ao que me rejeita; que meu silêncio deva ser ocupado com pensamentos; que meu olhar deva ser uma admoestação e que eu ordene o que é certo.”

Analisando este ensinamento vemos que há fé em Deus, justiça com os outros, moderação, união, compaixão, reflexão e ética, independentemente da situação.

O Islã abrange a vida do homem desde o lar até a sociedade, no seu lazer, no seu trabalho, literalmente desde o berço até a sepultura. Em resumo, não há nenhuma esfera da vida que esteja livre das aplicações universais e compreensivas dos princípios do Islam. Ele torna o reino da moralidade suprema e assegura que os assuntos de vida, ao invés de serem denominados por desejos egoísticos e interesses insignificantes, devem ser regulados por normas de moralidade.

Ele estipula para o homem um sistema de vida baseado totalmente na prática do bem e, com isso, está livre de toda a prática do mal. Convoca as pessoas não a praticarem apenas virtude, mas também para estabelecê-la e erradicar o vício, para proclamarem o bem e coibir o mal.

Deseja que o veredito da consciência prevaleça e a virtude não seja dividida para ficar em segundo plano, ou seja, para o mal. O objetivo singular reforçando a formação dessa comunidade é que ele faz um organizado esforço para estabelecer e fortalecer a benevolência e suprimir e erradicar a maldade.

Até quando outra pessoa faz algo de errado, o alcorão ensina para manter a justiça e não extrapolar os limites: “E que o ódio para com um povo não vos induza a se afastardes da justiça.  Sede justos, porque isso está mais próximo da virtude…”  (Alcorão 5:8)

Assim, tanto o senso moral como a consciência moral vão ajudar no processo de educação de cada um, fazendo com que o indivíduo coloque em prática seu senso e consciência, pois são importantes para a vida em grupo entre vários outros agentes morais, avaliando sempre a melhor maneira de agir.


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente