Na batalha pela maior mentira, qual se sai melhor: 400 ou 1000 casas?

Opinião
Guaíra, 29 de abril de 2016 - 10h01

Nos últimos meses nossas atenções voltaram-se para os escândalos de corrupção e mentiras profanadas pela presidente da republica. Isso fez com que nas últimas semanas, os brasileiros clamassem arduamente pela abertura de seu processo de impeachment; ato já aprovado pela Câmara dos Deputados e que está no Senado para decisão final.

O que chama atenção é que em Guaíra não é diferente. Os últimos prefeitos prometeram o que em várias administrações não poderia ser feito, a exemplo das 1000 casas a serem construídas pelo atual governo do município.

No entanto, não podemos esquecer de promessa feita pelo vice do “outro Chico”, que circula em vídeo pela internet e relembra em eleição passada afirmação veemente em cima de palanque, ao lado de um dos deputados estaduais mais votados da história de Guaíra, que era necessário eleger o Chico daquela vez, para que “400 casas começassem ser construídas em 1º de janeiro”, no inicio de seu mandato de prefeito.

O incrível é que pelo jeito o vice ao lado do Chico daquela época se esqueceu da promessa que fez para ganhar a eleição e crente de que os eleitores tem memória curta, acusa Francisco pelas promessas não cumpridas, como se ele não houvesse prometido o mesmo há poucos anos.

A você que me acompanhou até agora, faço a seguinte pergunta: Qual mentira é pior? Prometer 1000 casas e não fazer nenhuma ou garantir que já ganhou 400 casas, ganhar a eleição e não cumprir o que prometeu? Me refiro a Chico e Francisco, porque Guaíra está cansada dessa alternância dos velhos grupos no poder.

Vem o Chico, promete, ganha a eleição, não cumpre nada do prometido e a população dá o troco na próxima eleição. O Francisco também promete o mundo e o fundo, vence o Chico, e mais uma vez promessas faraônicas não são cumpridas.

Até quando em uma próxima eleição municipal, os grupos de Chico e Francisco vão disputar o poder para sacramentar a máxima: “em Guaíra, sai Chico e entra Francisco”. Os motivos que estão trilhando o rumo da presidente Dilma ao impeachment são entre outros, a falta de credibilidade de seu governo e a incapacidade de gerir o país e conduzi-lo para longe da crise antes que seja tarde demais. As falsas promessas que ela fez durante a campanha eleitoral inflamaram ainda mais esse sentimento do brasileiro, fazendo com que sua rejeição chegasse a níveis estratosféricos.

Em Guaíra não é muito diferente. Estamos cansados de tanta mentira e hipocrisia daqueles que sentam sobre as próprias promessas não cumpridas, para falar das promessas não cumpridas dos outros. Um autêntico exemplo “do roto que fala do rasgado”.

É lógico que um erro não justifica o outro, mas será que um grupo, que para ganhar uma eleição prometeu o que não poderia cumprir e ganhou a eleição, tem moral para substituir o time de Francisco que está no poder? Será que ele merece a credibilidade do eleitorado de Guaíra?

O governo que queremos para Guaíra, mais uma vez, será do grupo que não se preocupa com o “custe o que custar” para ganhar uma eleição e conquistar o poder no município? É por isso e por vários outros motivos que tomei a decisão de estar ao lado do pré-candidato José Carlos Soares e de todos os membros de seu partido, pois tenho certeza que ele se comprometerá com medidas equilibradas e sensatas, jamais prometendo o impossível para a população de Guaíra.

 


TAGS:

Aloizio Lelis Santana

Engenheiro

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente