Persistente ou teimoso

Opinião
Guaíra, 24 de maio de 2020 - 10h40

Os sistemas de vida, as leis universais, a natureza como um todo, possuem regras imutáveis. Uma delas é a de defasagem. Essa lei rege o tempo entre a ação e a percepção de resultado (veja que não é o tempo entre ação e resultado, mas a percepção do resultado – ele está acontecendo, mas não conseguimos enxergá-lo).

Um dos exemplos disso é o antibiótico. Quando tomamos a primeira dose, nem sempre (aliás, quase nunca) os sintomas começam a desaparecer. Mas, quando o medicamento e a dose estão corretos, ele já estará agindo. Perceberemos quando a ação for tal, que provocará o que chamamos de ponto da virada. Parar de tomá-lo antes de seus efeitos serem perceptíveis vai interromper suas ações “ocultas” que levariam ao ponto da virada, ou seja, ao início da percepção de processo de cura.

O que ocorre é que, quando não temos os resultados que queremos dentro de um tempo que acreditamos adequado, uma das situações mais complexas que se apresentam é conseguir discernir entre continuar e a hora de parar, exatamente porque, ao não vermos resposta do sistema, não conseguimos saber se a lei da defasagem está em ação, ou se, realmente, nada está acontecendo. Continuar, assim, pode ser persistência ou teimosia. Não sabemos.

A grande sacada para resolver essa dúvida é entender o sistema (e seus protocolos)que se apresenta naquele momento. Quando você entende as regras que regem a situação na qual você está inserido, é possível adaptar as ações dentro de novas possibilidades reais. Nessa situação, além de sabermos que há possibilidade, conseguimos ter certa ideia da probabilidade de dar certo. Aqui, continuar é persistir. Por outro lado, conhecedores do protocolo, podemos entender, mesmo sem perceber, que os resultados não estão acontecendo. Aí, continuar é teimosia.

Quando não conhecemos o sistema, estamos à mercê da sorte. Não temos a menor ideia da probabilidade e a possibilidade é mera opinião.Continuar, assim, também, sem procurar conhecer o “território”, é teimosia.

É preciso entender que ação e resultado estão interligados e pré-definidos. Fazem parte do sistema. Há ações sem nexo causal com o resultado. Nesse caso, achar e acreditar não levará a nada. Continuar é cada vez mais se distanciar daquilo que se quer.

Antes de fazer algo, permita-se dar um tempo para entender as leis naturais que regem esse sistema de atuação. Depois, sim, é hora de agir.

É preciso enxergar além do que você vê!

 

Pense nisso, se quiser, é claro!

 

Prof. Me. Coltri Junior é palestrante, administrador de empresas, consultor organizacional e educacional, professor e diretor da Nova Hévila Treinamentos. Website: www.coltri.com.br – E-mail: [email protected] – facebook.com/coltrijr.


TAGS:

Coltri Junior

Professor Coltri Junior é palestrante, consultor organizacional e educacional, professor e diretor da Nova Hévila Treinamentos

Ver mais publicações >

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente