Quem manda em quem?

Opinião
Guaíra, 1 de outubro de 2021 - 08h43

Muitas vezes nos vem uma ótima ideia na cabeça, surge um interesse e, sem mais nem menos, nos colocamos a fazer. Claro que, vez ou outra, isso dá certo, mas nem sempre. 

Durante o ano passado, em meio à pandemia que nos assola, escrevi um livro com a ideia de tentar fechar um elo perdido entre a vontade de fazer algo novo e de realmente materializar a ideia.

Um dos fatores porque isso acontece é que a vontade, em essência, não é forte o suficiente, não arde no peito, não é como a estrela que nos orienta. Desse modo, nos primeiros obstáculos, muitas vezes decidimos desistir. Aí perdemos força, recursos, tempo e, o pior de tudo, vem uma sensação de fracasso e de derrota.

Por isso precisamos aprender a transformar sonhos em objetivos (Como transformar sonhos em objetivos é o título do livro). Veja que eu não disse (ainda) que precisamos transformar sonhos em realização. 

É claro que a realização é o ponto final, a razão de ser de nossas atitudes, mas, precisamos, antes de iniciarmos qualquer projeto, termos certeza de que o objeto dele é forte demais em nosso coração e que teremos condições de conclusão (inclusive material).  

Em sendo assim, atingimos o foco necessário e a força suficiente para podermos construir com sucesso aquilo que desejamos. E há método para isso. É disso que falo lá: como conseguir dar potência a esse desejo inicial e como ver se ele realmente é o que nos faz pulsar.

Em seu modo, e em livre interpretação, podemos dizer que a canção Amor Pra Recomeçar (Maurício Barros, Roberto Frejat e Mauro Sta. Cecília) gravada inicialmente pelo Frejtat e, depois, dentre outros, pela dupla Jorge & Mateus, também nos traz essa ideia.

Ela amplia a ideia da essência e do fundamento, situações complementares entre si. A primeira é a razão de ser do nosso sonho, do nosso desejo. É aqui que entra o amor ao que faz, ao que se quer: “desejo que você tenha a quem – ou ao o que – amar e quando estiver bem cansado, ainda exista amor para recomeçar”.  É exatamente a ideia de não se deixar levar pelos problemas, pelos obstáculos. O amor, o que vem do coração, o que pulsa, é o que sustenta a força para não desistir, ou seja, de começar e de começar de novo.

O segundo, por sua vez, é o que sustenta e alimenta materialmente o projeto (e não o objetivo principal). É quando a música diz: “desejo que você ganhe dinheiro, pois é preciso viver também; e que você diga a ele pelo menos uma vez quem é mesmo o dono de quem”. O dinheiro, por ser fundamental, não é a razão de ser, mas o que dá condições de realizar o desejo. É fruto, consequência, do trabalho. Portanto, é preciso saber quem manda em quem. Você manda no dinheiro, ou ele manda em você?

Pense nisso, se quiser, é claro!

 

Prof. Ms. Coltri Junior é estrategista organizacional e de carreira, palestrante, adm. de empresas, especialista em gestão de pessoas e EaD, mestre em educação, professor, escritor e CEO da Nova Hévila Treinamentos. www.coltri.com.br; Insta: @coltrijunior 

 


TAGS:


OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente