Pais devem se atentar a acidentes das crianças com o uso de álcool durante a pandemia

Houve um aumento na incidência de queimaduras relacionadas ao uso da substância pelos pequenos

Saúde
Guaíra, 22 de julho de 2020 - 22h02

Prevenção de queimaduras em tempos de COVID-19 é o tema da nota de alerta lançada pelo Departamento Científico de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), nesta semana. Na publicação, os pediatras chamam atenção para o aumento da incidência de queimaduras durante este período de isolamento social, em especial aquelas relacionadas ao uso de álcool, substância que tem sido amplamente usada para a higienização de mãos e superfícies.

Conforme pontua o presidente do DC de Segurança da SBP, Dr. Marco Antônio Chaves Gama, a maioria dos acidentes não intencionais pode ser prevenida, basta que sejam tomadas providências de precaução. Por isso, a melhor maneira de assegurar um ambiente saudável e seguro para crianças e adolescentes é a orientação e conscientização de todos. “As lesões por queimaduras podem provocar sequelas estéticas e funcionais, além de afetar a dimensão emocional do indivíduo. O pediatra tem a missão de ajudar os pais a identificar potenciais ameaças no ambiente doméstico e esclarecer quais as medidas de prevenção e socorro à vítima devem ser adotadas”, afirmou.

Em geral, as peculiaridades das queimaduras em crianças estão associadas ao fato delas serem naturalmente mais curiosas e interessadas em explorar o ambiente. No entanto, por não reconhecerem os riscos com clareza, é fundamental a orientação e supervisão constante de um adulto responsável. A maioria dos acidentes envolvendo crianças até o final da idade escolar ocorre em sua própria residência e a cozinha é o local onde mais frequentemente acontecem as queimaduras. Para evitar essas intercorrências, a SBP recomenda as seguintes medidas:

Prevenção de queimaduras térmicas: Permanecer em casa e treinar com as crianças a lavagem correta de mãos com água e sabão, reservando o uso do álcool em gel para a necessidade absoluta de ter que ir na rua; Evitar usar álcool para limpeza doméstica habitual. Há produtos que o substituem, como o hipoclorito de sódio, que é um desinfetante de superfície eficaz contra o coronavírus; Não segurar e nem manusear líquidos quentes com uma criança no colo; Não deixar copos com líquidos quentes próximos de bebês; Materiais quentes devem ser colocados no centro da mesa, distante da criança, observando o tamanho da toalha, para evitar que possa ser puxada pela criança; Mantenha crianças longe de aquecedores, lareira, fogueira e fogos de artifício; Manter o ferro de passar roupa fora do alcance e nunca deixar o ferro esfriando no chão.

Prevenção de queimaduras químicas: Manter produtos tóxicos fora da visão e do alcance. Devem ser trancados em local seguro e nunca transfira produtos tóxicos para embalagens atrativas, como garrafas de refrigerante (mantenha em suas embalagens originais); Nunca deixar ao alcance de crianças pilhas e baterias.

Prevenção de queimaduras elétricas: Usar protetores de tomada em todas as tomadas que não estão sendo usadas; Dentro do possível, encostar os móveis, escondendo as tomadas; Evite ligar vários aparelhos eletrônicos em uma mesma tomada e evite usar benjamins ou extensões; Manter fios fora do alcance das crianças; Não deixe uma criança brincar com objetos metálicos que possam ser introduzidos em tomadas elétricas.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Saúde
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente