Vigilância contra incêndios criminosos na região é eficiente e conta com a Defesa Civil e o PAME

Geral
Guaíra, 10 de setembro de 2017 - 11h05

Prisão de guairenses, que estavam queimando propositalmente as plantações da região, ocorreu após mobilização e investigação do grupo, além de colaboração de funcionários e proprietários da área rural

Com o crescimento de queimadas em plantações e em áreas de preservação permanente na região, a Defesa Civil e o Plano de Ajuda Mútua em Emergências – PAME (formado por representantes da Corporação Militar do Estado de São Paulo, Sindicatos Rurais e usinas Colorado, Guaíra e Alta Mogiana) estão articulando ações de prevenção e combate à prática criminosa.

De acordo com o coordenador regional da Defesa Civil, o Capitão da PM André Luiz Hannickel, este trabalho em conjunto visa prevenir que queimadas ocorram e comprometam a qualidade do ar, coloquem em risco motoristas que trafegavam na rodovia, além de evitar danos e prejuízos ao meio ambiente. “A nossa região noroeste do Estado é a que tem mais focos de incêndios nessa época do ano. A Defesa Civil tem um contato muito estreito com as usinas que formam o PAME, que veio somar os esforços, não só na parte de combate a incêndios, como também na parte preventiva, orientando proprietários e moradores da área rural. A Defesa Civil também faz convênio com a secretaria de meio ambiente e temos um projeto do Corta Fogo. Trabalhamos intensamente na área e temos inclusive a contratação e uma aeronave para os casos de grandes incêndios, como o de Colômbia no início desta última semana”, afirma.

A investigação já resultou na prisão de duas pessoas de Guaíra e continua sob vigilância para evitar que ocorram outros casos como este.

“Estamos acompanhando esse trabalho do PAME na região devido aos casos recentes, em grandes proporções. Tivemos uma grande queimada no dia 15 de agosto, na área da Volta Grande, com um grande prejuízo, não só econômico para as usinas, como também à fauna e flora, que foram muito prejudicadas.”

 

Crimes das últimas semanas

Como resultado do trabalho da PAME com a Defesa Civil e Polícias Militar e Ambiental, dois guairenses continuam presos e vão responder criminalmente por incêndio intencional, de acordo com o Artigo 250 do Código Penal.

Segundo o Capitão Hannickel, os indivíduos também são responsáveis pelo grande incêndio que afetou a Volta Grande no dia 15 de agosto e que, desde então, as investigações têm acompanhado os “passos” deles.

“Apesar de algumas pessoas acreditarem que não há vigilância na área rural, elas se enganam. Estamos atentos a tudo o que acontece, graças a testemunhos de trabalhadores e proprietários rurais e da tecnologia que as usinas dispõem. Os dois homens presos nesta última semana foram acompanhados desde que foram vistos no grande incêndio de agosto. Estamos de olho e vamos tentar, de todas as maneiras, evitar que crimes assim continuem acontecendo em nossa região”, finaliza.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente