Espetáculo Usina da Dança “Descobertas de Pinóquio” alcança público de 3.900 pessoas

Guaíra foi a terceira cidade a receber a atração, realizada no Grêmio Recreativo e Esportivo Colorado

Geral
Guaíra, 16 de janeiro de 2020 - 15h47

Um público de 3.900 pessoas aplaudiu o Espetáculo Usina da Dança Descobertas de Pinóquio apresentado entre os meses de novembro e dezembro nos municípios de Guaíra, Ipuã, Miguelópolis, Orlândia.

A atração, realizada pelo Ministério da Cidadania, Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Pazeto & Bonato Ltda e Instituto Oswaldo Ribeiro de Mendonça – IORM, levou aos palcos regionais mais de 360 bailarinos, 40 coreografias e centenas de figurinos que apresentaram uma nova leitura da obra Pinóquio. A exibição contou com a participação especial dos bailarinos do Projeto Usina da Dança de Orlândia em quatro apresentações realizadas nos municípios da turnê.

O espetáculo deste ano contou com mais um componente que compôs o quadro criativo de forma contemporânea e surpreendeu a plateia. A narrativa ganhou tecnologia de ponta com imagens de alta definição projetadas em telão de Led de grandes dimensões. “A projeção serviu de apoio a todo o processo criativo, fazendo a mediação entre as linguagens digitais e a participação humana, causando encantamento e emoção ao público presente”, destaca Valéria Pazeto, da empresa Pazeto & Bonato.

No palco, os bailarinos apresentaram o resultado  de um trabalho artístico em dança que foi criado a partir dos processos investigativos das inquietações cotidianas dos alunos em seu contexto diário. Este movimento envolveu famílias e comunidade. “Os alunos foram instigados a refletirem e a se inspirarem em obras para sustentar os processos artísticos, explorando as experiências diárias, aprendendo e transmitindo valores e conhecimento por meio do mundo pessoal e coletivo de cada um”, afirma Valéria.

“Esse pensamento contemporâneo foi traduzido para a prática através da criação de um espetáculo plástico e híbrido com uma metodologia multirreferencial que permeou integração, diversidade, colaboração, complexidade, arte educação, educação somática, intertransdisciplinariedade, subjetividade e poética, mesclando habilidades técnicas sensíveis e criativas utilizando-se das linguagens das artes: música, artes plásticas e literatura e das artes da cena: balé clássico, jazz, contemporâneo e teatro.”

As apresentações realizadas em Miguelópolis e Orlândia foram produtos do Projeto Movimentações Poéticas e tiveram como proponente a empresa Pazeto & Bonato Ltda. O Projeto foi aprovado Governo do Estado de São Paulo por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Em todos os municípios em que foi apresentado, o espetáculo contou com a plateia como protagonista. As pessoas envolveram-se promovendo uma verdadeira troca com os bailarinos, reinterpretando o processo de criação. Antecedendo o início da apresentação, o público acompanhou os bastidores da criação por meio do vídeo que apresentou o processo de construção da Descobertas de Pinóquio em cada cidade.

“Nosso intuito foi o de transmitir e contextualizar o  espetáculo, envolvendo a plateia com as poéticas contemporâneas, as linguagens artísticas, o cenário social, ambiental, econômico, cultural e artístico local e a história da arte”, afirma Valéria.

Ela lembra que o processo de criação também proporcionou momentos de diálogo junto a estudantes e professores da rede oficial de ensino de cada município, especialmente o de escolas públicas com o objetivo de sensibilizar e despertar a comunidade escolar para a importância da arte e da cultura como elementos da identidade, significado e informação. “Por meio deste diálogo procuramos tornar ainda mais evidente a ligação dos múltiplos aspectos da vida na contemporaneidade com as vanguardas, os movimentos artísticos e o conhecimento ao longo da história”, salienta. A obra do escritor italiano Carlos Collodi, Pinóquio foi a fonte inspiradora para os integrantes.

Guaíra

Guaíra foi a terceira cidade a receber a turnê do espetáculo, realizado no Grêmio Recreativo e Esportivo Colorado. O palco recebeu a apresentação dos bailarinos da Oficina de Artes Integradas Usina da Dança e Artes e Ofícios nas noites de 4 e 5 de dezembro. Na segunda noite de apresentação, a abertura do espetáculo ficou a cargo do Coral Unaerp, sob regência de Cristina Modé Angelotti. Os dois dias de espetáculo somaram um público de 900 pessoas.

 

Fonte:Jornal O Guaíra 07/01/2020 pag6

 

 

 

 

 

 

 


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente