Guairenses descobrem tentativa de uso de seus CPFs para auxílio emergencial

Caso o seu CPF tenha sido usado irregularmente para pedir o auxílio emergencial, denuncie

Policial
Guaíra, 7 de junho de 2020 - 12h25

O mesmo que aconteceu com o filho do apresentador do Jornal Nacional Wiliam Bonner está ocorrendo com alguns cidadãos de Guaíra. Eles descobriram que pessoas estão tentando usar seus CPFs para fraudar ao auxílio emergencial disponibilizado pelo governo federal.

Segundo relato de um deles, tentaram usar os seus dados e também os de sua esposa, mas não conseguiram concluir o cadastro. Eles decidiram verificar seus CPFs após saberem de casos em âmbito nacional. “Só não concluíram a tentativa porque não tinham todos os nossos dados”, disse.

Eles alertam para que os guairenses chequem se a possível fraude também pode ter ocorrido com seus documentos. “Se aparecer a mensagem de que ‘não foi localizado solicitação para esse CPF’ é porque está tudo certo. Agora, se aparecer cadastro não concluído, quer dizer que alguém tentou usar seus dados para receber os R$ 600”, conta.

COMO CONFERIR

Quem suspeitar de fraudes no pedido de auxílio emergencial com o uso dos seus dados pode consultar a página do benefício (www.consultaauxilio.dataprev.gov.br/consulta/#/) para verificar as informações. Nessa página, o cidadão deve informar CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento.Se tudo der certo, uma nova página abrirá automaticamente e indicará se o auxílio foi ou não pedido para aquele número de CPF.

O que fazer se usaram meu CPF?

O CPF é um dos documentos mais importantes para uma pessoa. Ele é considerado como chave para obtenção de diversos tipos de serviços públicos. Sendo assim, é um dos mais visados em fraudes. Então, caso o seu CPF tenha sido usado irregularmente para pedir o auxílio emergencial, não fique parado. Denuncie, afinal, além de não contar com os R$ 600,00, é possível que a pessoa que teve os dados roubados ainda sofra ações judiciais se não fizer nada.

Se algo ocorreu com você, ligue para o número do Ministério da Cidadania (121). Também é possível entrar em contato com o Dataprev, a Caixa ou, se achar necessário, até fazer um Boletim de Ocorrência na Polícia.

Conforme levantamentos como o da PSafe, mais de 7 milhões de pessoas sofreram algum tipo de golpe relacionado ao benefício. Por isso, é sempre bom reforçar que a Caixa não manda mensagem via Whatsapp ou Facebook. Sempre procure informações ou entre em contato via canais oficiais como o site do banco (www.caixa.gov.br), o aplicativo Caixa Tem ou utilize o telefone 111.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Policial
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente