A MULHER NO ISLAMISMO

Opinião
Guaíra, 9 de março de 2016 - 09h15

No dia 08 de março é comemorado o dia da internacional das mulheres e muitas pessoas acham que as mulheres ocidentais são livres e que o movimento de libertação da mulher começou no século XX. Na verdade, este movimento não foi iniciado pelas mulheres, e sim foi revelado por Deus, no século VII, a um homem de nome Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), que é conhecido como o último Profeta do Islam. O Alcorão e as tradições são fontes de onde as mulheres muçulmanas tiram seus direitos e deveres. Há quatorze séculos atrás, o Islam tornou as mulheres igualmente responsáveis perante Deus, glorificando-O e adorando-O, sem qualquer limite para o seu progresso moral. O Islam também estabeleceu a igualdade da mulher em relação ao homem. Nos primeiros cinco versículos do capítulo intitulado “As Mulheres”, do Alcorão, diz Deus:” Ó humanos, temei a vosso Senhor, que vos criou de um só ser, do qual criou a sua companheira e, de ambos, fez descender inumeráveis homens e mulheres. Temei a Deus, em nome do Qual exigis os vossos direitos mútuos e reverenciai os laços de parentesco, porque Deus é vosso Observador.” (Alcorão Sagrado 4:1). Tendo em vista que homens e mulheres são provenientes da mesma natureza, eles são iguais em sua humanidade. As mulheres não são más em sua essência (como algumas religiões acreditam), assim como os homens também não o são. Da mesma forma, não há superioridade de sexos porque seria uma contradição do princípio da igualdade. Em primeiro lugar, ela é livre para escolher sua religião, onde assim é dito no Alcorão: “Não há compulsão quanto à religião, porque já se destacou a verdade do erro.” (Alcorão Sagrado 2:256). As mulheres são incentivadas a contribuir com suas opiniões e ideias, escolhendo seu marido e mantém seu nome depois de casada.  O Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), disse: “Buscar o conhecimento é uma obrigação para todo muçulmano (homem e mulher).”  A manutenção da casa, o apoio ao marido e a criação e instrução das crianças estão entre os mais elevados e respeitados deveres da mulher. Mas, se ela tiver habilidades para trabalhar fora de casa pelo bem da comunidade, ela pode, desde que cumpridas as obrigações com a sua família. Em relação à maternidade, o Profeta Muhammad (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele), disse:  “O céu está sob os pés das mães.” Isto quer dizer que o sucesso de uma sociedade está intimamente ligado ao papel desempenhado pelas mães. A primeira e mais forte influência sobre uma pessoa vem do sentimento de segurança, afeto e do exemplo recebidos de sua mãe. Portanto, a mulher que tem filhos deve ser instruída e consciente, a fim de que possa exercer a maternidade habilmente, sendo educadora por excelência e não como vemos hoje abandonando seus filhos a própria sorte. A proteção e a responsabilidade financeira foram outorgadas ao homem, por isso ele deve prover as mulheres não só financeiramente, mas também com proteção física e tratamento afável e respeitoso. A mulher muçulmana tem o privilégio de ganhar seu dinheiro, o direito de ter propriedades, de assinar contratos e de administrar seus bens da forma que desejar. Ela pode gerir seus próprios negócios e ninguém pode reivindicar seus ganhos, nem mesmo o marido pode pegar seu dinheiro sem sua autorização. Um direito concedido por Deus às mulheres muçulmanas, há mais de 1400 anos atrás, foi o direito de votar e de se divorciar, direitos estes que as mulheres ocidentais conseguirão há 80 e 40 anos, além de se casar com quem desejar e manter o nome de solteira. A mulher muçulmana recebeu uma tarefa, deveres e direitos há 1400 anos atrás, e que não são usufruídos pela maior parte das mulheres, mesmo no Ocidente, caindo por terra assim que a mulher muçulmana é oprimida. Será que realmente podemos chamar de liberdade por exemplo a pornografia praticada nos comerciais de cerveja, programas televisivos onde as mulheres aparecem praticamente nuas ou que as mesmas são rebaixadas no pior nível da sociedade, havendo flagrante escravização disfarçada, demonstrando assim que as mesmas são oprimidas sem perceberem, enquanto o islamismo faz a mulher ser reconhecida na sociedade pela sua competência e inteligência e não por um corpo belo e escultural. O Profeta Muhamad SAAW disse ainda: “Aceitai meu conselho a respeito de bons tratos às mulheres; pois, a mulher criada a partir de uma costela, a mais fraca das costelas, localizada na parte superior. Se você tentar endireitá-la (a costela) se quebra; e se deixar assim, ela continua empenada. Por isso, vos aconselho a tratarem bem as mulheres”. Por fim concluo com uma sabedoria islâmica que diz: “A mulher foi feita da costela do homem, não dos pés para ser pisada, nem da cabeça para ser superior, mas sim do lado para ser igual, debaixo do braço para ser protegida e do lado do coração para ser amada.”


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente