Desemprego em Guaíra evidencia necessidade de planejamento na área

Opinião
Guaíra, 15 de abril de 2016 - 08h15

A crise que assola o Brasil tem abalado muitas famílias guairenses em diversas áreas, sobretudo na geração de emprego. Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), registro Administrativo do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) mostram que somente nos anos de 2014 e 2015 o saldo de desempregados em Guaíra foi assustador: somando esses dois anos, Guaíra perdeu 1733 postos de emprego. O saldo de cada ano foi de -859 e -874 vagas respectivamente.

O que mais surpreende é saber que desde 2003, ano em que os dados passaram a ser disponibilizados pelo CAGED, até o ano de 2013, Guaíra só havia registrado saldo negativo na geração de empregos em 2008, porém, com 19 postos de trabalho perdidos, número infinitamente menor que o registrado nos dois últimos.

Em 2014 os setores que mais sofreram foi a agropecuária, com 710 vagas perdidas, seguido pela indústria, com 97. Em 2015 a indústria continua como um dos setores que mais demitiu, com 801 vagas não preenchidas. Como consequência, o segundo setor que mais desempregou foi o comércio, gerando o saldo negativo de 106 vagas.

Se levarmos em consideração o número de desempregados em 2015 e multiplicarmos ao valor do salário mínimo no estado de São Paulo, que desde 1 de abril deste ano é de R$1.000,00, o total de R$874.000,00 deixaram de circular na cidade mensalmente.

Ao observar os números da geração de empregos nos últimos anos em Guaíra, é possível uma certa instabilidade desde o ano de 2008. De lá para cá os índices de emprego não seguem uma tendência aparente, e infelizmente acaba piorando diante da crise nacional.

Isso demonstra que Guaíra precisa urgentemente de um planejamento muito bem realizado afim de criar estratégias para que novos postos de trabalho possam ser gerados na cidade, oferecendo a possibilidade de que a cada ano mais famílias possam contar com uma renda digna para custear o seu sustento.

Julgo extremamente necessário criar planos de incentivo à agropecuária e à indústria através das coordenadorias de Agricultura e de Indústria e Comércio em nossa cidade. Esses foram os dois setores que mais contrataram em 2006, ano que com 1.083 contratações a mais do que demissões, foi registrado o maior saldo positivo na geração de empregos no município. Juntos esses dois setores foram responsáveis por 5.411 contratações das 7.529 realizadas naquele ano. Setores como os de comércio e serviços também são essenciais para garantir vagas à população de Guaíra. Somados, os dois  setores perderam 142 vagas em 2015.

Esse cenário de crise em todo o país acaba evidenciando a grande necessidade de nossa cidade contar com pessoas altamente capacitadas à frente das coordenadorias citadas. Creio que dificilmente ações locais poderiam ter evitado a força com que a crise entrou nas casas dos guairenses, mas com certeza um departamento bem estruturado, com ações planejadas a médio e longo prazo poderiam ter pelo menos reduzido esses números angustiantes de geração de desemprego em nossa cidade.


TAGS:

Zé Carlos Soares

Zé Carlos Soares é presidente do Diretório Municipal do PMDB em Guaíra. É Ex-Diretor de Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil (2004 e 2009) e Ex-Presidente da Comissão Especial de Orientação do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas no SEBRAE Nacional (2007 a 2009)

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente