Ensinamentos para ter uma vida tranquila

Opinião
Guaíra, 2 de agosto de 2017 - 11h01

O mundo atual e seus encantos muitas vezes fazem com que as pessoas fiquem dispersas, onde o propósito é apenas a conquista de bens, sucesso, lazer, se esquecendo das demais obrigações.

Um grande sábio islâmico chamado Al Hassan Al Basri, certa vez foi questionado sobre a razão da sua disciplina e tranquilidade. Assim, o mesmo respondeu: “são quatro as coisas que contribuíram para essas qualidades, que a minha subsistência está assegurada por Deus, e não será de mais ninguém, por isso, meu coração se tranquilizou; sei que o meu dever não pode ser feito por outros, então me empenhei nele sozinho; sei que Deus me observa o tempo todo, então fico envergonhado Dele ver-me pecando; e sei que a morte me espera, portanto me preparei para encontrar o meu Senhor!”.

Por isso, apegar-se aos bens e prazeres mundanos é a porta para todos os pecados e erros, e quem troca a eternidade por efêmeros bens, estará em total prejuízo, pois se esta vida tivesse algum valor real, Deus não daria nela aos infiéis nenhuma gota de água. Por isso, Ele dá nela a todos sem distinção.

O que adianta a pessoa se matar de trabalhar, esquecer da sua família, dos seus filhos, das obrigações com Deus, se já está decretado o sustento por Ele. Essa é a maior ilusão que desencaminha as pessoas, levando-as a acumular riquezas de forma lícita e ilícita, sem saberem se terão tempo para gastá-las, enquanto o verdadeiro fiel se dirige às boas ações, como o campo de competição, por saber que é a única coisa que tem valor real e por saber que o seu quinhão nesta vida está assegurado, porém no seu devido tempo. Por isso, quem o procura na ilicitude, deve saber que tudo o que ele conseguir já era dele de forma lícita mas, ao seu tempo determinado por Deus, e por impaciência ele o antecipou de forma ilícita.

E ao segundo ponto, que cada um deve fazer os seus próprios deveres, e não incumbi-los a outros, pois ninguém pode rezar ou jejuar por outros, e que os deveres são pessoais, portanto, cada um deve se ocupar com os seus, não esperando que a pessoa trabalhe por você ou faça aquilo que é sua obrigação.

E ao terceiro ponto, cada um sabe que Deus a tudo vê, e não se envergonha de pecar sabendo disso, não se importando em ser corrupto, desonesto, adultero, onde pode se esconder dos homens, mas do Criador nada será ocultado, sendo que do mesmo modo que temos vergonha de algum ser humano descobrir nossas falhas, devemos saber que Aquele que nos Criou e que irá nos Julgar Vê tudo.

O quarto ponto, que é a certeza de que todos morrerão, como Deus disse: “cada alma experimentará a morte e apenas no dia da ressurreição sereis recompensados com vossos prêmios. Onde aqui se reúne tudo, sendo que aquele que praticou boas ações irá ver e aquele que praticou más ações também irá ver, sendo a Justiça de Deus certa e não falha jamais, onde neste dia cada pessoa irá ser retribuído por aquilo que fez.


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente