Para desmentir boato, Saúde confirma soro antiescorpiônico no SUS de Guaíra

As doses são enviadas pelo Estado ao município de acordo com a logística epidemiológica de cada região

Geral
Guaíra, 21 de novembro de 2019 - 08h30


Nas últimas semanas, um boato percorreu as redes sociais de que a saúde pública de Guaíra estaria sem o soro antiescorpiônico, único medicamento eficaz para o tratamento de envenenamentos moderados e graves por escorpiões do gênero Tityus.

Em contato com o governo municipal, a secretaria de Saúde confirmou que o SUS do município possui sim o soro, que fica estocado na Santa Casa de Guaíra, devidamente acondicionado. ”A prefeitura tem o soro antiescorpiônico para casos que necessitem  a aplicação do medicamento, uma vez que não são todos os pacientes que recebem a medicação. É importante lembrar que não é em todo caso de acidente que o soro será indicado, e apenas o profissional de saúde poderá fazer essa avaliação. O antiveneno é indicado em casos moderados ou graves”, afirma o Executivo.

As doses são enviadas pelo Estado ao município de acordo com a logística epidemiológica de cada região. O soro não é disponibilizado na rede particular de saúde. Em 2019, em Guaíra, foram realizadas 150 notificações de escorpiões, atendidos pela rede municipal de saúde, sendo que, nos meses de maio e junho foi utilizado o antiescorpiônico em dois pacientes.

Como evitar escorpião em casa

O período do verão, de dezembro a março, exige maior cuidado em relação aos acidentes com escorpiões, pois o clima úmido e quente é ideal para o aparecimento destes animais, que se abrigam em esgotos e entulhos. Os escorpiões que habitam o meio urbano se alimentam principalmente de baratas, portanto são comuns também em locais próximos a áreas com acúmulo de lixo. A adoção de hábitos simples é fundamental para prevenir acidentes.

O Ministério da Saúde não recomenda a utilização de produtos químicos (pesticidas) para o controle de escorpiões. Estes produtos, além de não possuírem, até o momento, eficácia comprovada para o controle do animal em ambiente urbano, podem fazer com que eles deixem seus esconderijos, aumentando a chance de acidentes.

As principais medidas a serem tomadas são | Organizar o quintal e mantê-lo limpo, remover entulhos e sobras de construção, fechar frestas, colocando telas nos ralos e nas janelas, usar sacos de areias nos vãos das portas, limpar caixa de gordura e passagem de esgoto e não deixar expostos resíduos orgânicos.

Segundo o governo municipal, o DEAGUA realiza de quatro em quatro meses aplicação de inseticidas nas galerias de esgotos para controle de baratas. Em média, o tempo de cobertura do inseticida é de seis meses.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos