Professora denuncia descarte irregular de lixo na Balança Municipal

Vídeo e fotos comprovam que o espaço, que não possui licença ambiental para tal finalidade, tem sido alvo de descarte de lixo doméstico, misturado com restos de construção civil e de podas de árvore

Cidade
Guaíra, 20 de agosto de 2020 - 08h15

Na manhã da última terça-feira, 18, uma professora guairense publicou um vídeo polêmico e preocupante: na balança municipal, um descarte completamente irregular de lixo doméstico misturado com restos de construção e podas de árvore.

A cidadã, que estava no local para gravar uma aula de gestão de resíduos sólidos se deparou com a irregularidade e resolveu denunciar para que as autoridades tomem uma providência. Na área também há restos de carcaças de animais, o que também está errado.

Na gravação ainda percebe-se que os restos de couro (lixo tóxico descoberto ainda na gestão de Sérgio de Mello) continuam no local, o que oferece riscos para o solo daquela região. A Balança não possui licença ambiental para o recebimento de lixo doméstico ou tóxico.

Segundo a professora, no momento em que estava na balança, presenciou a chegada de mais três caminhões da prefeitura para outros descartes. Ela ainda gravou um coletor de recicláveis, sem equipamentos de proteção individual, recolhendo embalagens.

Após o vídeo, o Jornal O Guaíra enviou questionamentos para a prefeitura, responsável pela gestão da Balança Municipal. Em nota, o governo municipal afirma que: “é importante lembrar que no governo do ex-prefeito Orlando Garcia Junqueira foi feita um vala para receber depósito de podas de árvore, mas culturalmente a população acaba utilizando o local para descarte de lixo doméstico, apesar do governo coibir esse descarte irregular com a colocação de um portão. Mesmo assim ,alguns cidadãos descartam o lixo no local. Quando ocorre o depósito de lixo doméstico, a prefeitura retira o lixo e envia para a empresa Terra Plana  para o descarte correto”.

A prefeitura ainda declara que iniciou um processo licitatório ATT –  Área de Triagem e Transbordo  resíduos de construção civil privadas. “Nesse sentido, o local da Balança Municipal será destinado exclusivamente para os resíduos de podas de árvores. Será feita então a compostagem e o resultado será reaproveitado para adubação de áreas verdes  de praças e jardins da cidade”, afirma.

Em relação às questões ambientais sobre o destino de lixo doméstico, o governo destaca que “é fundamental esclarecer que o aterro sanitário guairense foi  desativado  devido ao limite de sua capacidade de recebimento”. A prefeitura está finalizando todo o processo junto à CETESB. “Hoje, o lixo doméstico recolhido pela empresa Terraplana é enviado para um aterro em Barretos. Inclusive foram retirados todas as aparas de couro que foram depositadas  irregularmente no governo anterior . As aparas estranhamente encontradas no aterro assim que o novo governo municipal assumiu, foram retiradas dentro das exigências ambientais e enviadas  602 toneladas  para aterros sanitários  de  Sales de Oliveira e Guará com um custo para os cofres públicos de R$ 110.105,30.”


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente