Vigilância pode multar imóveis que não removerem criadouros do Aedes Aegypti

Residências e empresas que forem notificadas e não resolverem o problema do foco do mosquito da dengue podem ser multadas em valores acima de R$275,30

Cidade
Guaíra, 7 de março de 2019 - 10h57


Os casos de dengue crescem no município e, infelizmente, há pessoas que não colaboram para evitar que o mosquito Aedes aegypti se prolifere. Assim, a Vigilância Sanitária do município está notificando e até mesmo multando aqueles imóveis que repetirem o erro de permitir o criadouro.

De acordo com a Vigilância em Saúde, os valores da multa podem variar entre 10 a 10.000 UFESP (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo, que encontra-se em R$ 26,53), no valor mínimo de R$ 275,53.

“As multas são aplicadas para aqueles cidadãos que foram notificados, mas que não resolveram o problema de acabar com o foco. Estamos tomando providências, porque há imóveis criadouros, no Centro, por exemplo, que estão afetando toda a vizinhança”, afirma o chefe do setor, Maurício Alves. “Fazemos, primeiramente, o aviso, porque a intenção é que se resolva. Entretanto, há pessoas que simplesmente não tomam atitude para evitar a proliferação do mosquito, infelizmente”, completa.

Os funcionários do controle de vetores estão fazendo sua parte. Diversas ações são realizadas durante toda a semana, aos finais de semana e feriados também, na tentativa de combater a dengue em Guaíra. Estão sendo feitas visitas de casa a casa com agentes da vigilância e também das Unidades Básicas de Saúde; ações de bloqueio contra criadouro nos imóveis de suspeitos da doença; nebulização nos bairros onde há casos positivos; campanha informativa no carnaval; autuações pela vigilância em locais que inspiram maiores cuidados; arrastões aos finais de semana; notificações em terrenos baldios pelo setor de Posturas; e até mesmo mobilização social através de reunião com entidades da cidade.

“Fizemos até um encontro com os clubes de serviço (Orbis Clube, Rotary Club e Maçonaria) igrejas e instituições de Guaíra, para que todos possam ajudar na questão de remoção dos criadouros”, informa o chefe da Vigilância.

Casos de Dengue

Entre os dias 1º de janeiro e 1º de março de 2019, o setor de Vigilância Epidemiológica registrou 560 notificações, sendo delas: 90 casos positivos de dengue em Guaíra, 159 negativos e 310 suspeitos, que aguardam os resultados dos exames. Todos esses são registros de doenças confirmadas em pacientes das unidades de saúde e dos laboratórios da cidade. Há ainda os casos que não aparecem nos dados, já que algumas pessoas ficam doentes e acabam não procurando o médico ou realizando o exame de confirmação da doença.

“Está chovendo, com isso, aumentando a capacidade de focos do mosquito Aedes aegypti. Por isso, voltamos a reiterar para que todos fiscalizem suas casas, verifiquem as calhas, se há vazamentos, se os ralos estão desentupidos, observem seus quintais, se não há qualquer ambiente propenso para o inseto. Vamos eliminar qualquer tipo de água parada. E, caso alguém tenha os sintomas da dengue, que procure um médico ou a unidade de saúde mais próxima de sua casa. Não se automediquem”, finaliza Maurício.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos