Assistentes sociais fazem moção de repúdio às declarações do vereador Toin do Raio X

Geral
Guaíra, 1 de abril de 2016 - 09h12

Após a grande repercussão de seu discurso sobre o aumento do salário dos vereadores guairenses, Antônio Eurípedes da Silva recebeu a insatisfação dos servidores, que compareceram no plenário da Câmara nesta terça (29)

Repudiando as declarações do vereador Antonio Eurípedes da Silva, em seu pronunciamento durante a sessão do dia 17 de março, assistentes sociais e o Conselho Municipal de Assistência Social enviaram para a Câmara uma Moção de Repúdio contra as declarações do parlamentar, solicitando uma retratação do discurso.

Na sessão desta última terça-feira, 29 de março, o documento foi inserido na ata da reunião e destacou que as “declarações desrespeitam a categoria profissional dos Assistentes Sociais, bem como com visão que corroborou a discriminação de gênero, pois, esta categoria é composta em sua maioria por mulheres.”

A Moção de Repúdio foi assinada por 29 profissionais da área, que atuam no município. “Reconhecemos que o vereador é o representante do povo na esfera municipal e que a população possui o direito de buscar o legislativo para a garantia de seus direitos; reconhecemos ainda que as necessidades das famílias sejam diversas (emprego, moradia, gastos com saúde, vestimentas, calçados, alimentação, esporte, cultura e lazer) e perpassam por todas as Políticas Públicas.  É necessária a compreensão de que a Política de Assistência Social não é a única responsável pela garantia de direitos da população e sozinha não acabará com a miséria.”

No pronunciamento, ao qual o documento se refere, Toin do Raio X citou as assistentes sociais, especificando Maria Adriana Barbosa de Oliveira, coordenadora da pasta no município. A Moção de Repúdio solicitou esclarecimentos sobre o momento em que ele diz: “[…] enquanto tem tanta assistente social sentada com a bunda na cadeira sem tomar uma posição, sem atender com carinho, sem atender com amor. Será que eles não têm família, ou será que o berço deles é diferente do berço destes coitados que precisam da assistência social […]”.

Os assistentes sociais responderam: “Considerando que o profissional de Serviço Social se posiciona em favor da equidade social e reconhece qualquer cidadão como indivíduo de direitos e não como ‘coitado’, conforme diz o Sr. Antônio Eurípedes que, também, demonstra sua visão desconhecedora e equivocada das atribuições desta categoria profissional. Em razão das ofensas proferidas contra essa categoria que afeta sobremaneira a moral de servidores públicos no desempenho de suas funções deixando implícito que esses trabalhadores nada fazem durante o exercício de seu trabalho e por serem alvos de constrangimento pelos atos desempenhados nesta casa que foram fatores tão absurdamente contundentes que hoje essa categoria se vê obrigada a manifestar seu descontentamento e repúdio ao discurso proferido naquela sessão. Convictos da sobriedade da palavra bem como do total respeito aos trabalhadores dessa categoria orgulhosamente engajados no respeito e equidade a todos os cidadãos não poderíamos deixar de manifestar nosso repúdio. Acreditamos que o bom senso levará a uma reflexão que descarte qualquer medida atentatória a nós trabalhadores.  Certos, da sensibilidade dos Nobres Vereadores apresentamos a presente Moção de Repúdio e solicitamos retratação do discurso proferido pelo vereador Antônio Eurípedes da Silva na sessão supracitada”.

Após a apresentação do documento na sessão, Toin do Raio X se manifestou. “Sobre o manifesto, tenho a dizer que nunca tive a intenção de ofender nem mesmo prejudicar as assistentes sociais do município, apenas manifestei minha opinião sobre a deficiência do trabalho da secretaria de assistente social.”

Segundo o parlamentar, os munícipes de baixa renda não recebem o apoio necessário do governo. “Basta a população observar a porta da Câmara Municipal diariamente, a quantidade de pessoas implorando para os vereadores resolverem seus problemas. Não basta isso, ainda somos procurados em casa para ouvir as mesmas reclamações que acontecem na câmara. O que quero da assistente, e isso não falo para as servidoras apenas, mas para a secretaria como um todo, a solução dos problemas da população carente de Guaíra, realizando visita, concedendo os benefícios previstos em lei. A assistente social não pode ser um instrumento eleitoral, como acontece em alguns municípios, ela deve ser instrumento de justiça social, que também beneficia a população de bom coração de Guaíra, que são as famílias carentes”, concluiu.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente