Centro de Contingência alerta sobre dispersão do coronavírus no interior de SP

Polos regionais, como Campinas, Bauru e São José do Rio Preto apresentam risco de disseminação do vírus até cinco vezes maior

 

Saúde
Guaíra, 29 de abril de 2020 - 23h21

A pandemia do novo coronavírus está se espalhando pelo interior do Estado de São Paulo. É o alerta do Centro de Contingência de coronavírus, com base em estudo da Unesp (Universidade Estadual Paulista) coordenado pelo professor Carlos Magno Fortaleza, membro desse grupo.

O levantamento foi apresentado nessa semana.

A modelagem mostra que as cidades consideradas polos regionais, como Campinas, Bauru e São José do Rio Preto apresentam cinco vezes mais chances de disseminação do vírus do que outras cidades menores, com baixa densidade populacional e menor conectividade com municípios de sua região. Aponta ainda que a rota de disseminação do vírus concentra-se ao redor da capital, na Região Metropolitana, e se dissemina pelas principais rodovias que cortam o interior do Estado.

Além da densidade populacional, o estudo observou a distância como outro fator importante de dispersão da COVID-19. “O risco imediato, como é a condição de vigilância neste momento, é 25% menor a cada 100 quilômetros de distância da capital”. Portanto, há tanto o salto entre os grandes centros regionais quanto à difusão por vizinhança e contiguidade de municípios.

Fortaleza alertou que é preciso manter expressivo índice de isolamento social nesses polos, para evitar que o contágio atinja também os de menor porte, seguindo a classificação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que prevê quatro tipos de municípios no interior – os polos regionais, os extremamente conectados com polos, os menos conectados e os rurais.

“É grande a necessidade de que os grandes centros regionais mantenham maior rigor no isolamento, o que vai impactar nos demais (em relação à circulação do vírus)”, afirmou o professor da Unesp.

Coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo, o infectologista David Uip ressaltou que existe uma falsa sensação de que o interior paulista está protegido contra a COVID-19, mas que se não houver cooperação por parte dos moradores, especialmente dos centros regionais, a doença poderá se alastrar ainda mais pelo Estado.

Dados da COVID-19

O Estado registrava 2.049 óbitos até a tarde de ontem (29). Desse total, 728 residiam em cidades do interior, litoral e Grande São Paulo, por onde a doença tem crescido – são 141 municípios com pelo menos um óbito, incluindo a capital.

Quase metade do total de municípios em SP já foi alcançada pela COVID-19. Das 645 cidades de SP, 305 tiveram pelo menos um caso da doença. Entre os 24.041 confirmados em todo o território, 8.644 dos infectados moravam fora da cidade de São Paulo.

Em Guaíra, até ontem (14h), havia um caso confirmado, um óbito em investigação, 7 casos suspeitos e 81 pessoas em isolamento domiciliar.

O estudo da Unesp elenca quinze cidades que, juntas, concentram 70% do total de casos e mortes em SP. Confira abaixo o mapa e, na sequencia, a tabela com os dados atualizados referentes a esses municípios.

Casos e óbitos nesses municípios:

 

 


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Saúde
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente