Governo diz que nova ETE será entregue com capacidade para receber 100% do esgoto da cidade

Com o funcionamento da Estação de Tratamento, gradualmente, as antigas lagoas do “Matadouro” e “do Fogão” serão desativadas e reflorestadas

 

Cidade
Guaíra, 1 de agosto de 2020 - 22h38

A Nova Estação de Tratamento de Esgoto de Guaíra, a ETE, que será entregue em até 60 dias, precisou ser completamente repensada pelo Governo José Eduardo, que encontrou, no início de 2017, um canteiro de obras repleto de graves problemas técnicos e contratuais deixados pela administração anterior. Além disso, a capacidade original de recebimento da estação não ultrapassava os 15% do esgoto da cidade. O prefeito José Eduardo Lelis não concordou em concluir a obra com uma capacidade tão baixa e determinou aos engenheiros da prefeitura que refizessem o projeto, ampliando em sete vezes o poder de processamento das instalações. Assim, a estação, que a prefeitura declara que será entregue dentro de sessenta dias, dobrou, em números gerais, o tempo que poderá servir à população de Guaíra. Pelo projeto original, a nova ETE serviria pelos próximos 20 anos. “Agora, com as mudanças determinadas pelo Governo José Eduardo, os guairenses não precisarão se preocupar com o tratamento de esgoto na cidade pelos próximos 40 anos, até 2060”, afirma a atual administração.

Doação de parte dos equipamentos

Defensor da doutrina de gestão que disciplina os loteadores privados a serem corresponsáveis pela qualidade de vida nos novos bairros construídos na cidade, o prefeito José Eduardo Lelis convenceu o loteador Antonio Manoel da Silva Júnior, responsável pelo loteamento que leva o nome de seu pai (Antonio Manoel da Silva) a contribuir com a construção da nova Estação de Tratamento de Esgoto, já que ela receberá os dejetos de seu empreendimento. Em ata da reunião do Conselho Municipal de Planejamento e Mobilidade Urbana de Guaíra, criado durante a atual administração, o loteador comprometeu-se a doar 12 aeradores (equipamentos que estimulam a “proliferação” de organismos vivos responsáveis pela filtragem natural do esgoto) para a nova estação. O loteador tinha pressa para que a estação ficasse pronta e José Eduardo foi claro. “Meu governo vai concluir a obra no tempo certo, para entregar uma estação correta, duradoura e eficaz. Uma forma de agilizar o processo é a doação dos aeradores que estão faltando”, disse. O loteador concordou em fazer a doação.

A nova estação em números

De acordo com a atual gestão, faltando apenas 1% do previsto para a sua conclusão, a nova Estação de Tratamento de Esgoto receberá agora a colocação da estrutura da cúpula e a geomembrana. Com sua entrada em funcionamento, gradualmente, as antigas lagoas do “Matadouro” e “do Fogão” serão desativadas e reflorestadas. “A nova ETE vai começar a funcionar com os 12 aeradores que José Eduardo fez o loteador Antonio Manoel da Silva doar, mas ganhará mais outros 8, chegando a 20 no total”, declarou o governo.

A atual vazão

Atualmente, a vazão do esgoto guairense é de 8.200 metros cúbicos por dia. Destes, 60% vão para a Lagoa do Matadouro; 25% para a Lagoa do Fogão e 15% às lagoas pré-existentes do complexo Santa Quitéria, que será transformado na nova ETE. Com a conclusão da obra e desativação das lagoas antigas, a nova Estação de Tratamento receberá e tratará 100% do esgoto guairense.

 


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Cidade
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente