Não perca o Saresp

Opinião
Guaíra, 6 de novembro de 2016 - 07h36

O Brasil precisa acelerar a sua marcha rumo ao verdadeiro desenvolvimento, que passa por uma educação de qualidade. Embora se reconheça a gravidade da situação brasileira, que deixou a economia em níveis muito inferiores ao que se havia obtido, o alunado pode fazer a diferença com empenho e predeterminação compensadora. Afinal, o aprendizado é algo que depende mais da vontade e da curiosidade intelectual do que de externalidades.

Uma oportunidade sem igual para evidenciar a vontade de tornar o Brasil uma verdadeira potência, é a participação efetiva no SARESP. O que é o SARESP? É o sistema de avaliação do ensino público do Estado de São Paulo.

Nos próximos dias 29 e 30 de novembro, mais de um milhão de alunos da rede oficial, matriculados nos 3º, 5º, 7º e 9º anos do Ensino Fundamental e os da 3ª série do Ensino Médio poderão demonstrar sua proficiência e domínio das competências e habilidades básicas em Língua Portuguesa e Matemática. Justamente as disciplinas em que estamos na rabeira do Primeiro Mundo. Afinal, quando examinamos nosso desempenho na avaliação PISA, promovida entre 65 países de todo o planeta, ficamos convencidos de que há um longo caminho a percorrer.

O SARESP é a principal ferramenta de avaliação externa dos estudantes de São Paulo. Os dados extraídos dessas provas permitem o planejamento dos responsáveis pelo ensino/aprendizado, notadamente os professores.

Todos os alunos precisam saber que a importância do SARESP vai muito além de medir o seu desempenho. O Brasil necessita de investimentos externos e há muito recurso disponível nas economias fortes. Um dos fatores que fazem o investidor hesitar é a falta de pessoal qualificado para que os investimentos aqui valham realmente a pena. Com o êxito nas avaliações, o alunado estará a demonstrar que não há motivo para deixar de aplicar no Brasil, pois a educação tem caminhado na direção correta: a obtenção de resultados compatíveis com o investimento que os mestres fazem nas salas de aula e a seriedade com que os alunos encaram os métodos de aferição de seu desempenho.

O SARESP é elaborado com todo o zelo por profissionais de reconhecida competência, com base no documento “Matrizes de Referência para a Avaliação” e a realização das provas nas escolas será acompanhada pelo professor aplicador, por representantes de pais de alunos ou responsáveis, sob a coordenação do diretor e fiscais externos. Tudo de maneira a evidenciar transparência e lisura do procedimento avaliatório.

Em 2015, São Paulo alcançou o melhor índice em oito anos de aferição. Foi o segundo ano seguido de melhora nos resultados e o 3º ano do Ensino Médio teve o melhor resultado desde 2012, enquanto os anos do Ensino Fundamental tiveram o melhor resultado desde 2008.

São Paulo confia em sua juventude, para a continuidade na melhoria gradual da qualidade do ensino propiciado pela Rede Pública Estadual, cujos profissionais estão conscientes de seu papel patriótico, na adequada preparação das gerações do amanhã.

 


TAGS:

José Renato Nalini

José Renato Nalini é Reitor da Uniregistral, docente universitário e Presidente da Academia Paulista de Letras – 2019/2020

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente