Ronaldo Primeiro: superação é a palavra que define sua vida

Ronaldo Primeiro é o seu nome de batismo.

Homenagem
Guaíra, 3 de fevereiro de 2020 - 12h44

Algumas pessoas podem pensar que é um apelido. Não é! Este é o nome de registro de um atleta que tem um histórico de vida que pode ser resumido em uma só palavra: “Superação”.  Guairense, 42 anos, campeão na modalidade Powerlifting (levantamento de peso),  pai de nada menos do que 8 filhos, Ronaldo vem conquistando medalhas nesta  modalidade sempre levando o nome de nossa cidade por onde passa. Para o mês de Fevereiro, do dia 14 até 17, ele estará em Joinville, Santa Catarina, participando do Campeonato Brasileiro, já com inscrição feita, passagem aérea comprada e a bandeira de Guaíra na mala.

Qual a sua rotina de treino?

Muitas vezes já cheguei a treinar três horas e meia seguidas. Hoje, treino duas horas e meia, porque meu treinador Francisco Ramos, que é da capital, me orienta “online”… Gravo os treinos, mando para ele, ele recebe, corrige e me envia de volta com as orientações corretas, onde tenho que melhorar, o que tenho que fazer!

 

E isso vem dando certo?

Vem dando certíssimo, porque depois que ele “me adotou” e começou a me orientar, os títulos e as medalhas começaram aparecer. Eu não tinha condições de pagar um técnico nesta modalidade, então, ele abraçou comigo esta causa. Ele fez questão de me treinar gratuitamente

Onde você trabalha?

Hoje, trabalho na “Academia Impacto”. Sou remunerado e pela pessoa que me tornei hoje, tenho ajuda de muitas pessoas principalmente quando vou viajar.

 

Como surgiu este esporte na sua vida?

Bom, fui um garoto cheio de problemas e estive em uma clínica de recuperação. Lá tinha uma academia, então comecei a frequentar esta academia.  Quando saí, meu primo, Luciano Duarte – o Bergô – tinha também uma academia e passei a frequentá-la e fui pegando gosto pelo Powerlifting, ele me mostrava vídeos, gravou um “pen-drive” com os exercícios e aquilo foi um incentivo.

 

Então…

Então para eu não cair novamente nas substâncias ilícitas, me apeguei ao esporte. Bergô foi um exemplo para mim, me mostrou este caminho e hoje sou bicampeão brasileiro, bicampeão paulista, tricampeão de levantamento Terra e já fui convocado duas vezes para competir no mundial, no Pan-americano e no Sul-Americano. Só que estes dois últimos campeonatos não fui!

 

Não foi por quê?

Não havia verba para tudo isso! Viajar para outro país requer um patrocínio muito grande. Mas, fiquei feliz de estar neste nível de ser escolhido para competir nestes campeonatos.

 

A vida te ofereceu dois caminhos?

Isso mesmo. Um caminho com as portas largas e outro com a porta estreita. Quando escolhi a porta larga, ela me sufocou! Me envolvi nesta opção e tive só dificuldades. Meus filhos cresceram longe de mim. Vim conhecer uma filha quando ela já tinha 18 anos de idade. Mas, ergui a cabeça e naquela clínica tive a oportunidade de ser Coordenador Terapeuta, fazia Estudos Bíblicos, fazia dinâmicas e vi que “a gente aprende aquilo que ensina”.

 

E hoje?

Hoje, trilhando pela porta estreita, eu sou um homem feliz! Viajo de avião, conheci os melhores hotéis, vou para São Paulo três vezes ao ano, tudo isso porque o Meu Deus é grande! Ele me tirou do mundo do crime e hoje eu olho e vejo garotos de 18 anos, morrendo, sendo presos e fico triste com isso, pois era uma parte da minha história.

 

A quem você agradece?

A Deus, ao Senhor Jesus, pois sozinho eu não conseguiria. Agradeço ao Renato Moreira; ao Alessandro Camilo, da  academia Flex 360,  grande amigo que há 4 anos vem  me auxiliando; ao Vereador  Moacir Gregório;  ao Dinaldo e à Suzana, da Academia Impacto, meus patrões que me dão muita força;  à Lauriane, dona da Max Muscle, que também me patrocina, nem tanto pelo patrocínio, mas pela pessoa que ela é;  meu primo Fernando, sempre presente que quer me ver bem; ao Adriano Mendes, policial; Juninho Caputi, do Cheff Restaurante, que me auxilia com alimentação e uma quantia em dinheiro; Larissa e Jussara da  Click Cell, loja de celular; aninhos cabeleireiro e o Grupo Ao Barulho; ao Marquinhos do Rei da Pizza… Sou grato a eles e a toda sociedade guairense que hoje me respeita pela pessoa que sou.

 

Quer deixar uma mensagem?

Sempre que vou àa Igreja eu me achego ao altar, conto a minha história e ali eu peço por misericórdia por aqueles que têm como leito a rua, os encarcerados, os acamados, aqueles que estão no hospital, peço que eles conheçam  Deus, o Senhor Jesus, que acreditem que para Deus nada é impossível.

 


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Homenagem
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente