Vereador se despede da Câmara com desabafo sobre problemas do setor de saúde

Geral
Guaíra, 18 de agosto de 2016 - 13h51

João Enfermeiro se mostrou indignado com o descaso da secretária de saúde em responder aos requerimentos da Câmara. O parlamentar denunciou a falta de EPI para os funcionários do setor de limpeza do Pronto Socorro

materia 1 (1) materia 1 (2)

A sessão da Câmara Municipal, realizada na noite desta terça-feira (16), foi a última para o vereador João José de Oliveira, o João Enfermeiro.

O parlamentar se despediu de seu cargo, dos colegas de trabalho e da Casa de Leis depois de perder a ação no Tribunal Regional Eleitoral. João foi condenado a se retirar do Legislativo após ter protocolado, no Cartório Eleitoral, sua saída do Partido dos Trabalhadores, no dia 02 de fevereiro de 2016, sem justa causa.

Segundo o departamento jurídico da Câmara, o vereador deveria ter apresentado sua justificativa ou então ter saído do PT durante a janela de mudança de partidos, entre 18 de fevereiro e 02 de abril.

Sendo assim, o Ministério Público Eleitoral entrou com ação para retirá-lo do cargo, por entender que a cadeira pertence ao partido. O parlamentar ainda tentou recorrer, sem sucesso, apresentando testemunhas que confirmaram sua insatisfação e o seu desacordo com as decisões do prefeito Sérgio de Mello (PT).

“Estava com um processo no TRE, estava em julgamento, infelizmente foi desfavorável. Esta foi minha última sessão. Quero deixar meu agradecimento a todos os vereadores, que estiveram comigo nestes três anos e meio. Falo para vocês, de coração, que estou muito feliz com a pouca contribuição que deixei aqui. Peço desculpas se, em alguma ocasião, falhei com vocês”, declarou emocionado.

“Foi difícil esses três anos e meio, até porque a questão política tem que estar entranhada e eu não tive esse traquejo, esse molejo, me deixei me levar por emoções em votações. Já disse várias vezes que eu teria vergonha de me candidatar hoje para vereador novamente por conta da atual situação do nosso município, mas eu creio que é fácil resolvermos essa questão. Dia 2 de outubro tem três candidatos, a gente escolhe um. Precisa ter essa consciência da população e essa mudança do formato de gestão”, completou.

Para João Enfermeiro, o erro foi estar do “outro lado”. “Quero agradecer a cada um dos parlamentares e a todos dessa Casa de Leis. Acho que tudo é válido na vida da gente e esses três anos e meio me serviram de lição. O político tem que trabalhar com determinação e cuidar da população e, infelizmente, eu estive do lado errado”, confessou.

A despedida foi marcada por lindas declarações de companheirismo, como as palavras proferidas pela companheira Susete Barini.

Agora, a cadeira do PT fica vaga e, provavelmente, Tião Vancim irá ocupá-la até o final do ano.

 

DESABAFO
João José de Oliveira não deixou a Câmara Municipal sem antes denunciar a situação da saúde pública guairense. O parlamentar elencou alguns pontos e se mostrou inconformado com as respostas da secretária de saúde, Jussara Soler, aos requerimentos do Legislativo.

“Eu e a Susete recebemos respostas de alguns requerimentos e também fiquei indignado com as réplicas que recebemos. Achei que a questão fosse pessoal, comigo, mas, pela reclamação dos vereadores, eu estou vendo que estão faltando respeito com a condução de vereador em Guaíra”, desabafou.

De acordo com Oliveira, Jussara não se preocupou em responder os problemas do veículo, desviando o assunto para o “erro” no texto do documento. “Eu perguntei para a secretária de saúde à respeito da van que transporta pacientes para hemodiálise em Barretos e Bebedouro. Acho que teve um erro ao formular o requerimento e escrevi ‘micro-ônibus’. Ela me respondeu da seguinte forma: ‘venho através do presente informar à vossa senhoria que foi adquirido um veículo tipo van e não micro-ônibus, sendo este para uso na prevenção, proteção e promoção à saúde’. Ela não se interessou em responder a questão do transporte dos pacientes que fazem a hemodiálise. Acho que ela não tem ciência do que é aquele micro-ônibus, que carrega o pessoal. A situação é precária e infelizmente a resposta que ela deu foi essa. Ela não está preocupada com o transporte dos pacientes.”

 

PRONTO SOCORRO

João Enfermeiro apontou um grave erro no Pronto Socorro Municipal. Segundo ele, não há lençóis para as macas e os funcionários de limpeza estão trabalhando sem o Equipamento de Proteção Individual. “Eu e Susete também fizemos requerimento à respeito do Pronto Socorro e foi respondido que lá não está faltando lençóis nas macas e camas. Estivemos no local e o pessoal informou que não tem lençol. Os pacientes estão sendo colocados em colchão puro! Ficamos indignados com essa postura, até por conta da insalubridade, que foi tirada dos funcionários da limpeza. Também me informaram que lá não está tendo EPI para o pessoal fazer limpeza do setor”, ressaltou.

O vereador ainda contou que o PS está sem um importante medicamento. “Me disseram que não está tendo trombolítico. Se um de nós, ou algum familiar enfartar, não tem trombolítico pra tirar do infarto”, disse, mostrando-se insatisfeito com o posicionamento de Jussara Soler. “A gente fica assustado com essas respostas da secretária”, concluiu.

MOÇÃO DE REPÚDIO

Sobre o documento publicado pela Santa Casa de Misericórdia nas redes sociais, no dia 04 de agosto, João Enfermeiro, que foi duramente criticado pela equipe de intervenção, deu sua resposta.

“Fiquei indignado com a Moção. Não entendi a questão que foi citada, porque estamos na Santa Casa quase todos os dias. Apesar que não sou chamado para reuniões, mas trabalho praticamente dentro do hospital. E fiquei inconformado com a postura dessa Moção, pois, na Câmara, estamos preocupados com a situação da entidade”, finalizou.

 

 

 

 


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Geral
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente