Nada de vitimismo

Editorial
Guaíra, 24 de novembro de 2017 - 10h01

Diversas de pessoas criaram “memes” (animações pela internet) e “zombaram” a atriz Taís Araújo por seu discurso no encontro TEDx, em São Paulo.

O evento ocorreu no meio deste ano, mas um vídeo da palestra de Taís debatendo o impacto de temas como racismo e machismo na educação dos filhos viralizou na internet nessa semana. No entanto, a fala da atriz acabou rendendo uma série de ataques nas redes sociais.

“Quando engravidei do meu filho, eu fiquei muito, mas muito aliviada de saber que no meu ventre tinha um homem. Porque eu tinha a certeza de que ele estaria livre de passar por situações vivenciadas por nós, mulheres. Teoricamente, ele está livre, certo? Errado. Errado porque meu filho é um menino negro e liberdade é um direito que ele não vai poder usufruir se ele andar pelas ruas descalço, sem camisa, sujo, saindo da aula de futebol. Ele corre o risco de ser apontado como um infrator – mesmo com seis anos de idade. No Brasil, a cor do meu filho é a cor que faz com que as pessoas mudem de calçada, escondam suas bolsas e que blindem seus carros”, disse Araújo.

Apesar de serem verdadeiras palavras, comentários racistas invadiram o Facebook, Twitter e WhatsApp, mostrando que o brasileiro continua sendo preconceituoso em pleno século XXI.

Leram essa parte do discurso dela? Agora digam, o que ela falou que não é verdade?

As mulheres continuam sofrendo com a violência, o estupro, o assédio, a diferença, a humilhação… Diariamente! E o negro continua sendo alvo de retaliações, racismo, desconfiança, descredibilidade, preconceito… Frequentemente. Ainda falta muita educação nesse Brasil para vermos o país do desenvolvimento social!


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LEIA TAMBÉM
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente