A Modéstia

Opinião
Guaíra, 19 de abril de 2016 - 08h14

Dentre as virtudes para a qual o Islamismo convoca é a modéstia. Se ela for encontrada numa família ou numa comunidade, toda a sociedade fica feliz: o mais idoso sente carinho pelo mais jovem, e o mais jovem respeita o mais idoso. Os sábios reputam a pessoa modesta como maleável, distante da arrogância e da vaidade.

Deus elogia os modestos, dizendo: “E os servos do Clemente são aqueles que andam pacificamente pela terra e, quando os ignorantes lhes falam, dizem: Paz!”. (25:63).

Eles andam pacificamente, sem arrogância, nem insolência; são calmos e modestos. Esse é o seu comportamento quanto ao andar. Porém, no que diz respeito ao seu relacionamento com seus semelhantes, eles os tratam com modéstia e educação. Por isso, Deus diz: “Quando os ignorantes lhes falam, dizem: Paz”.

Um poeta disse: “Seja como as tamareiras, distante do ódio, quando lhe são pedras atiradas, retribuem as mesmas com suas melhores frutas.”

A modéstia é composta de várias partes: a mais nobre é a modéstia do indivíduo perante a lei de Deus. Faz parte da modéstia levar em consideração os direitos e as posições dos outros, sem arrogância ou insolência.

Um sábio disse: “A modéstia é aceitar o direito de quem quer que seja, acatando-o e atendo-se a ele, mesmo que seja de um jovem ou de um pobre.

Deus encheu o coração do Profeta Muhmad SWS com a dádiva da modéstia, para tratar as pessoas com benevolência. Ele disse: “Pela misericórdia de Deus, foste gentil para com eles; porém, tivesses tu sido insociável ou de coração insensível, eles se teriam afastado de ti” (3:159).

O Profeta (que a Paz e a Bênção de Deus estejam sobre ele) deu o maior exemplo nisso, pois ele próprio era o exemplo vivo da modéstia e da maleabilidade. Aceitava o convite do rico e do pobre, não se prevalecia sobre os seus companheiros, mas ajudava-os em seus afazeres. Escutava, em silêncio e atenciosamente, a conversa de quem lhe dirigia a palavra. Não deixava o interlocutor antes que o mesmo terminasse a sua fala. Quando alguém lhe apertava a mão, não tirava a sua antes que o outro o fizesse. Não interrompia a conversa de ninguém. Quando algum de seus companheiros se ausentava, ele sentia a sua falta. Se estivesse viajando, ele fazia prece por ele, se estivesse doente, ele o visitava.

Ele mesmo disse: “Deus me revelou que sejamos modestos, para que nenhum se vanglorie sobre o outro, nem serdes injustos uns sobre os outros”. Todo aquele que for modesto, por amor a Deus, Ele o eleva em posição.”

Assim ser modesto é saber que por mais que possuímos belezas, riquezas, bens, filhos, posição social, tudo isso ficará para trás, onde se vangloriar leva as pessoas ao ridículo, sem qualquer discernimento e respeito as demais pessoas e principalmente em querer disputar algo, que somente Deus é: Perfeito e Poderoso.


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente