A reconciliação entre as pessoas

Opinião
Guaíra, 4 de maio de 2016 - 08h04

Sempre existem disputas e conflitos entre as pessoas, como resultado das divergências, desejos ou opiniões. Só que estas disputas provocam ódio, inimizade e separação entre as pessoas. Quando isso acontecer, o nosso dever é reconciliar as pessoas, de qualquer meio possível. Deus diz no alcorão: “Os crentes são irmãos uns dos outros. Reconciliai, pois, entre vossos irmãos e temei a Deus…” [49:10].

Deus enviou Seu Mensageiro, o profeta Muhammad SAW, para unir os corações dos fiéis através da fé, e afastar deles todos os motivos da briga, purificando-os de todo tipo de ódio e rancor entre eles. Com isso, é obrigação dos muçulmanos se apressarem na reforma dos laços, o quanto rápido possível.

Disse o mensageiro de Deus: “Gostaríeis que vos informasse sobre o grau mais alto que o do jejum e o da oração? Os companheiros responderam: Queremos, sim. Ele disse: estabelecer pazes entre duas partes. E a intriga para fazer duas pessoas brigarem é como um extintor de ações boas”.

Na verdade, intencionar na reforma entre as pessoas é preferível do que expressar a vontade publicamente. Isso porque, na medida em que o espaço do conflito for menor, mais fácil será para ajustá-lo, porque todo humano se sente machucado com os seus problemas perante outras pessoas. Contudo, a reforma requer conhecimento adequado, caso não, o conflito pode-se tornar mais violento.

A melhor vida que um fiel que consegue passar neste mundo, é quando coloca o seu caráter e conduta sob a vigilância de Deus. Quando alguém vem ter contigo pedindo desculpas, deverás aceitá-lo, aliás, deverias ser tu o primeiro a terminar com a briga, mesmo que a razão estivesse contigo.

Umar, segundo Califa do Islamismo disse: “O mais inteligente dentre as pessoas é o primeiro que pede desculpas”. Hassan, o neto do Profeta SAW (que a paz esteja com ele), disse: “Se alguém me insultar num ouvido e pedir-me desculpas no outro, aceitá-lo-ei”.

Por isso se tomares a ciência de que dois dos teus irmãos, ou parentes, ou amados, ou amigos, ou vizinhos estão em briga, ou se tornaram inimigos um do outro, deves despender o máximo do teu esforço para a reconciliação.

Mesmo Deus, o Altíssimo, irá reconciliar entre Suas criaturas, no Dia da Ressurreição. Anass (que Deus esteja satisfeito com ele), relata que certa vez, enquanto o Profeta estava sentado, de repente vimo-lo sorrindo fortemente! Então Umar disse: O que te fez sorrir, ó Mensageiro de Deus? Ele respondeu: Vi duas pessoas, do meu povo, ajoelhadas diante de Deus. Um deles disse: Meu Senhor! Dê-me o direito que o meu irmão arrancou de mim! Então Deus disse, para o culpado: Entrega-lhe o direito dele! Ele respondeu: Meu Senhor, nada ficou das minhas boas obras! Respondeu o injustiçado: Se é isso, então que carregue alguns dos meus pecados. Nisto o Profeta deitou lágrimas, e depois disse: “Na verdade, será assim, naquele grande Dia!! É o dia em que as pessoas precisarão de quem possa lhes reduzir o peso”. Então Deus disse para o injustiçado: levanta o teu olhar e observa nos jardins do Paraíso! Quando levantou o seu olhar, disse: Meu Senhor! Estou vendo campos de prata e palácios de ouro enfeitados com pérolas. De que profeta pertence aquilo? Ou será que aquilo é de um amigo, ou mártir? Deus respondeu: Na verdade, aquilo é do dono que já pagou o seu preço. O injustiçado respondeu: E quem é o dono? Deus disse: Tu és o dono. Ele disse: Meu senhor, você está gozando comigo? Deus respondeu: Se você perdoar o seu irmão, aquilo será seu. Ele respondeu: Senhor meu, testemunha que já perdoei meu irmão!!! Então Deus disse: Então, pega na mão de teu irmão, e juntos entrem no Paraíso!

Portanto, temei a Deus e reconciliai entre vossos irmãos, porque Deus irá reconciliar entre Seus servos crentes, no Dia de Juízo final. Este dito deve ser o motivo através do qual os que estão em conflito ganham a coragem de aceitar o restabelecimento de bases e coordenar naquilo que agrada a Deus, meditando na sua misericórdia sobre os Seus servos que são benfeitores, e do jeito como Ele amolece os corações para o seu temor, mesmo depois da separação, dor ou suspiro.

 

 


TAGS:

Girrad Mahmoud Sammour

Girrad Mahmoud Sammour, Advogado, Pós Graduado em Processo Civil, Professor Divulgador Do Instituto Latino Americano De Estudos Islamicos-Ilaei, Diretor Da Mesquita De Barretos-Sp. Dúvidas e palestras  [email protected]

Ver mais publicações >

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS PUBLICAÇÕES
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente