Polícia Civil instaura inquérito no caso de acidente em frigorífico de Barretos

Agora
Guaíra, 3 de setembro de 2016 - 08h03

O inquérito foi instaurado logo após o registro de B.O de homicídio culposo e deverá apurar se o responsável pela unidade industrial concorreu em culpa pela morte do funcionário

A Polícia Civil abriu inquérito de homicídio culposo no caso do vazamento de amônia que provocou a morte do trabalhador Clademilson Aparecido Leal, 39, no frigorífico Minerva, em Barretos.

O delegado Antonio Alício Simões Júnior, do 1º Distrito Policial, informou que aguarda os laudos do Instituto de Criminalística sobre o acidente ocorrido na última quarta-feira (31), que deixou também 30 pessoas feridas, atendidas na UPA e Santa Casa, a maioria com intoxicação. Por se tratar de acidente de trabalho, o delegado comunicou o caso à regional do Ministério do Trabalho.

O inquérito foi instaurado logo após o registro do boletim de ocorrência de homicídio culposo e deverá apurar se o responsável pela unidade industrial concorreu em culpa pela morte do funcionário. “O acidente de trabalho não é uma figura típica penal, por isso se dá apuração por homicídio culposo”, explicou o delegado do 1º DP.

O Corpo de Bombeiros de Barretos também atuou no caso e, segundo o tenente Frank Fernando Andrade, o trabalho dentro do frigorífico foi encerrado no dia 1º de setembro, devido à alta concentração de amônia no local do acidente. “Trabalhamos junto com o pessoal da empresa para fazer uma ventilação do local”, explicou.

A Santa Casa informou que todos os trabalhadores que deram entrada no hospital, devido ao acidente, tiveram alta.

O Sindicato dos Trabalhadores da Alimentação informou que aguardará os laudos da perícia para só então se posicionar. “Estamos acompanhando porque foi um acidente de trabalho e só o laudo dirá o que realmente aconteceu. Falaremos baseado no que a perícia concluir”, afirmou o presidente Luiz Anastácio “Paçoca”.

O gerente regional do Trabalho, Mário Henrique Scannavino, confirmou que o órgão atuará no caso, colaborando para apurar o que pode ter provocado o acidente. “A nossa função é a fiscalização, incluindo a parte de prevenção e aspectos como registro dos empregados e jornada de trabalho”, explicou.

O acidente será apurado também por meio de um inquérito do Ministério Público do Trabalho para avaliar a responsabilidade do frigorífico.

EMPRESA – A Minerva Foods informou que as atividades da unidade industrial de Barretos foram retomadas na tarde de quinta-feira (1º), após vistoria e liberação pelo Corpo de Bombeiros e demais órgãos competentes.

Em nota, a empresa esclareceu que a operação foi suspensa pela companhia no fim da manhã de quarta-feira (31) devido ao vazamento de amônia numa das câmaras de suas dependências. “O procedimento de evacuação do prédio foi realizado com auxílio da sua Brigada de Emergência e Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT) e durou aproximadamente quatro minutos. Cerca de 30 colaboradores que relataram mal-estar foram prontamente atendidos e encaminhados à Santa Casa de Misericórdia e Unidade de Pronto Atendimento (UPA), sendo liberados em seguida. A Companhia ressalta que continua fornecendo todo o apoio necessário aos seus colaboradores e especialmente aos familiares da vítima do incidente, aos quais reitera seu pesar”, informou a empresa em nota divulgada.
Segundo a Minerva Foods, “nenhum impacto ao meio ambiente foi constatado e as causas do incidente estão sendo apuradas por perícia técnica”.
A empresa também agradeceu “o apoio e a presteza de todos os agentes e órgãos que atuaram, direta ou indiretamente, no evento e no atendimento a seus colaboradores”. (ODiárioOnline)


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Agora
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente