Prefeito e a preocupação com a geração de empregos: “precisamos ter todas as estratégias”

José Eduardo concedeu entrevista ao Jornal O Guaíra para falar sobre a situação da empregabilidade no município e o que sua gestão tem buscado nesse sentido

Política
Guaíra, 11 de maio de 2020 - 00h48

Através de uma entrevista com o Jornal O Guaíra, o prefeito José Eduardo expôs sua preocupação sobre a situação de empregos no município. Para ele, sua gestão tem atuado em todos os outros setores públicos, regularizando o que antes estava crítico, como infraestrutura, saúde, educação e transporte. Mas, José Eduardo enfatiza que está, desde o início de seu mandato, buscando parcerias com o setor privado para trazer mais empresas e aumentar o mercado de trabalho para os guairenses. Confira as declarações do Chefe do Executivo:

Qual a situação econômica do município atualmente? E o que nos espera para o futuro?

Ao assumirmos a administração perdemos nos dois primeiros anos quase 40 milhões de reais em receita, mas mesmo assim, terminamos o ano de 2109 com todas as contas em ordem e todas as estruturas necessárias da Prefeitura estão trabalhando de forma adequada. Na nossa educação foram feitos os investimentos necessários e estamos, inclusive, terminando de instalar os ares condicionados em todas as salas de aula de todas as unidades escolares. Na saúde, apesar de assumirmos com dividas junto aos médicos, com a Santa Casa praticamente fechando, conseguimos implantar uma administração de forma equilibrada e sustentável. Hoje estamos investindo na Santa Casa, principalmente com a aquisição de mais equipamentos para exames. Em relação a Assistência Social houve uma evolução, principalmente pelo projeto Trabalho Cidadão que hoje é um exemplo de cidadania oportunizando dignidade e renda para as pessoas em vulnerabilidade. Na questão de segurança publica, que é uma das primícias do governo, já implantamos a Atividade Delegada. Fizemos a troca de lâmpadas por led e estamos trabalhando para fazer um sistema de segurança integrada. Os aspectos básicos da administração estão fortalecidos para passarmos por esse momento critico da pandemia do COVID-19. Hoje, a minha grande preocupação é a oportunidade de geração de empregos para o nosso município. Por onde eu passo, as pessoas elogiam os investimentos no asfalto, na iluminação pública e nos setores que investimos, mas a grande preocupação é o emprego e nesse sentindo precisamos ter todas as estratégias.  Desde 2019 nós estamos elaborando o PDL, Plano de Desenvolvimento Local, juntamente com o Sebrae, que consiste na capacitação dos empresários. A partir de um projeto aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento do município, foram definidas as áreas necessárias para que a Prefeitura faça a aquisição e a doação de terrenos por meio de projetos apresentados por empresários que queiram investir nos municípios. Esses projetos deverão ser aprovados na Câmara Municipal. Nós já estamos preparados financeiramente para isso. Com esse projeto, possibilitamos a geração de oportunidades de renda e emprego pelas novas empresas. Esse é o primeiro caminho. Estamos tomando todas as medidas necessárias, além oferecer constantes capacitações profissionais aos trabalhadores por meio da Diretoria de Desenvolvimento Econômico, do Fundo Social de Solidariedade e da Assistência Social. Essa é a minha grande preocupação para a geração de emprego para o município.

Como as empresas enxergam Guaíra atualmente? E como o município está agindo para que a conexão com os empresários seja maior?

Nessa linha de planejamento é necessário fomentar principalmente no setor do agronegócio, onde estão as oportunidades de negócios em Guaíra. Na contramão da economia, o agro é a grande oportunidade e temos dialogado muito com as empresas do setor. Tenho falado com cooperativas, grandes empresas de atacados e do ramo alimentício, para que montem aqui uma estrutura de Atacadão e estamos buscando avançar neste sentido. Estou mantendo contato também com as pequenas empresas do setor de logística, já que Guaíra é uma grande produtora de feijão. Estamos dialogando com empresas de maquinários para a área de agricultura. Estamos criando essa conexão para a geração de empregos. Tenho trabalhado muito nesses três anos e, pelo relacionamento e conhecimento que tenho no setor, estou buscando de forma veemente  as oportunidades para o município de Guaíra.

Como avalia a votação na Câmara sobre as mudanças das diretrizes para a doação do terreno à Só Fruta?

A questão da Só Fruta se alinha a toda essa contundência de oportunidades que precisa ser feita para a geração de emprego. A Só Fruta chegou a Guaíra com o calor de uma discussão política e foi implantada em 2010. Naquela oportunidade, o projeto era gerar 250 empregos. Hoje, a empresa atende mais de 850 pessoas, ou seja, mais de 800 famílias têm a renda interligada e foram beneficiadas com a vinda da Só Fruta para Guaíra. Observem a importância dela ao se fazer a análise do seu PIB. O valor adicionado, pelo levantamento do DIPAM (Declaração para o Índice de Participação dos Municípios), que define os valores de nossa receita de ICMS, mostra que a Só Fruta representa, hoje, entre 5 e 6 milhões de reais anuais para o município, o que demonstra que, além de geradora de empregos, ela também gera receitas. Ao assumirmos em 2017, em um momento que não estava muito bom para o agronegócio e para a economia, mas com o relacionamento da Só Fruta, buscamos a contundência dela para melhorar o investimento na cidade, já que a empresa tem a capacidade operacional de fábrica que pode ser aumentada e que não poderia ser ampliada somente com a sua estrutura física atual. Neste sentindo, eles acreditando na seriedade na nossa gestão, fizeram a ampliação no seu sistema produtivo com mais plantações, melhorando a economia e produzindo mais. Para que isso se sustentasse, havia a necessidade de que a logística acompanhasse esse crescimento e, então, foi proposta a implantação de uma fábrica de embalagens na cidade e propusemos que a prefeitura faria a doação de uma área de 5 hectares para que eles fizessem esse planejamento. Foi feito todo o preparativo e mesmo com R$ 40 milhões a menos no orçamento, depositamos o dinheiro da compra da área, mas existe todo o processo burocrático. O Poder Judiciário tem que dar a permissão de uso, mas, paralelo a isso, a empresa foi trabalhando o aumento da sua produção, melhorando o número de empregos e receita e acabou por implantar a empresa de embalagem dentro do seu próprio espaço. Em 2019, a Câmara aprovou a doação deste terreno. No início de 2020, a empresa, que é muito séria e transparente, enviou ao Poder Executivo dois pedidos.  O primeiro era que fosse incluída na Lei não só a implantação da nova empresa, mas também a ampliação, já que havia a necessidade de espaço para o armazenamento de produtos, logística e até mesmo um restaurante para os colaboradores. Além do término da implantação da indústria, a empresa queria também a tranquilidade necessária dentro da Lei para realizar todo esse processo. De outro lado, como já gerou cerca de 50 empregos com a instalação da empresa de embalagens, ela sugeriu, já que nossa Lei Municipal permite um valor mínimo de 100 empregos nesse processo de doação, que voltasse para esse número, uma vez que já estava empregando quase 50 trabalhadores. Vejam o tamanho da honestidade da empresa! Ela poderia antes da assinatura da escritura fazer a demissão de 200 empregados e depois da assinatura contratar 180 colaboradores novamente. Foi um processo transparente e justo. Foi feito uma audiência pública com o Conselho De desenvolvimento Econômico e depois enviado a Câmara.

A conta é fácil. Se você pegar R$ 600 mil – valor pago pelo terreno e dividir por 150 empregos, dá um total R$ 4 mil reais por emprego, o que representa dois meses de salário dos 150 novos empregados. Parabenizo todos os vereadores que votaram a favor e acreditamos que a Predileta – Só Fruta continuará investindo em Guaíra. Seria ruim se ela decidisse abrir mão desse terreno que lhe foi doado e perderíamos os 100 empregos e os outros benefícios. Isso me deixa muito preocupado.

Para você, qual será o impacto desse resultado para economia local?

Espero que a empresa não desista da doação já feita e que tenhamos oportunidade de dialogar com os agentes políticos para que, em algum momento, possamos condicionar dessa forma, muito honesta, por parte da empresa.  Infelizmente é um momento político e existem pessoas que colocam seus interesses acima dos interesses do desenvolvimento da cidade e da população, além de ser uma injustiça feita com essa empresa tão séria e importante para o município. Fico preocupado com o ambiente que podemos criar com outras empresas. Esse posicionamento político de alguns agentes pode criar um desânimo muito grande para outras empresas que têm interesse em Guaíra, indo na contramão do que está acontecendo nos País, com falta de emprego e até fechamento de empresas. Quando temos uma empresa séria que quer investir e somente está pedindo uma readequação em um momento e vemos um posicionamento desses é preocupante. Ao sair pelas ruas de Guaíra, as pessoas elogiam a saúde e a educação, mas elas perguntam sobre o emprego e eu preciso ter a responsabilidade de atender essas pessoas; será que esses agentes que foram contra têm essa responsabilidade? Saberão dizer às pessoas que dos 180 empregos, 50 já estão empregados e trabalhando? E o serviço terceirizado para a contratação? Criar esse discurso político somente para gerar um confronto nesse período pré-eleitoral? Precisamos passar a limpo, não somente esse País, mas o nosso município, no sentido das prioridades e responsabilidades de cada um.


TAGS:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Política
Ver mais >

RECEBA A NOSSA VERSÃO DIGITAL!

As notícias e informações de Guaíra em seu e-mail
Ao se cadastrar você receberá a versão digital automaticamente