-
º º 17:50
Guaíra - SP

Sindicato Rural de Guaíra apresenta resultados do 9º Encontro Técnico De Soja

A entidade apresentou o desempenho produtivo de cultivares de soja da safra 2018/19, sob o manejo de sequeiro, em semeadura direta sob palhada de milho

Agro
Guaíra, 11 de março de 2019 - 11h02

O Sindicato Rural de Guaíra divulgou o resultado do desempenho agronômico de diversas cultivares apresentadas no 9º Encontro Técnico de Soja, na Fazenda Matinha, de propriedade de Francisco M. Muraishi, realizado no dia 22 de janeiro deste ano.

O evento, que ocorreu com o apoio de várias empresas e também do Sistema FAESP/SENAR, prefeitura e CATI, contou com a presença de dezenas de participantes e teve o objetivo de expor novas cultivares adaptadas para a região, com alta capacidade produtiva, além de oferecer a troca de informações entre os presentes.

O engenheiro agrônomo do sindicato, Renato Massaro Sobrinho anunciou os resultados produtivos de cultivares de soja da safra 2018/19, sob o manejo de sequeiro, em semeadura direta sob palhada de milho.

As análises de variância foram realizadas e as médias comparadas pelo teste de Scott Knott a 5%. “A média geral de produtividade de grãos na safra 2018-19 foi de 2470,31 kg ha-1, relativamente baixa por conta dos veranicos ocorridos.  Como destaque tem-se a cultivar FIBRA IPRO que apresentou produtividade de 3188,07 kg ha-1”, anuncia.

Descrição do experimento

O experimento de campo foi instalado no dia 22 de outubro de 2018 no município de Guaíra. Até janeiro, a precipitação acumulada foi de 496 mm, valor muito inferior a safra 2016-17 que foi de 1.260,5 mm e em relação à safra 2017-18 que foi de 1050,1 mm.

“Cada empresa foi representada por um plot que constituiu em 16 linhas da semeadora adubadora, sendo oito linhas representada por cada uma cultivar e ou a mesma cultivar sem ou com o tratamento (ST ou CT) de formulação de adubo diferenciado. Assim o experimento foi instalado em campo em parcelões demonstrativos do tipo ‘Strip Test’, cuja finalidade é  representar as condições reais da cultura em termos de expressão fenotípica e genotípica de cultivares, além da visualização de manejos adotados no dia de campo, o que permite ao sojicultor a escolha do que realmente deseja”, elucida o eng. agr.

O delineamento experimental utilizado foi o de blocos casualizados, com três repetições. As fontes de variação da análise de variância foram compostas por 21 tratamentos que corresponderam as cultivares de soja, bem como, as adubações diferenciadas nos casos especificados a seguir (tabela).  “Como área útil das parcelas experimentais adotou-se a colheita de 3 linhas centrais de 5 metros de comprimento, com espaçamento entre linhas de 0,5 m, retiradas ao acaso dentro dos plotes subdivididos em 8 linhas”, esclarece Renato.

Na tabela abaixo estão dispostas as dez empresas participantes do experimento e dia de campo…

Nos plotes de 16 linhas referentes às empresas YARA FERTILIZANTES, KIMBERLIT, FERTIPAR FERTILIZANTES utilizou-se a cultivar M 6410 IPRO submetida aos diferentes tratamentos de adubação sugeridos por cada empresa, e a Empresa EMBRAFÓS utilizou a cultivar LG 60162 IPRO para uso dos tratamentos sugeridos pela mesma. O restante das empresas tiveram a mesma adubação ou seja representada por 270 kg ha-1 de 4-28-07 + 135 kg ha-1 de cloreto de potássio = ST; CT = com tratamento.


Na tabela abaixo estão descritos os resultados obtidos da avaliação dos 21 tratamentos testados incluindo diferentes cultivares e formulações de adubação mineral (N-P-K) quanto ao estande final em plantas por metro linear e produtividade de grãos em kg ha-1

Médias para estande final (plantas por metro) e produtividade de grãos de 21 tratamentos testados envolvendo diferentes cultivares e formulações de adubo (N-P-K). Guaíra-SP. Safra 2018-19.

Médias seguidas pelas mesmas letras minúsculas na coluna não diferem estatisticamente pelo teste de Scott Knott a 5%; EF = estande final em plantas por metro linear; PG = produtividade de grãos em kg ha-1; ST = 270 kg ha-1 de 4-28-07 na base + 135 kg ha-1 de cloreto de potássio em cobertura ; CT = com tratamento sendo 2  = formulação 4-28-08 (Yara Mila Absoluto); 3 = 05-24-22+ 9,9% de S + tratamento de sementes com Cropper Seeds;4 = 270 kg ha-1 da formulação de adubo 4-28-07 na base + 00-00-46 (NUTRI) em cobertura; 5 = formulação de base utilizada 4- 28 -07 de organo mineral.

A média geral para a produtividade de grãos (PG) na safra 2018/19 foi inferior à média nacional obtida no ano agrícola 2017/18 que foi de 3.394 kg ha-1 e abaixo também da média do estado de SP que registrou 3.546 kg ha-1 (CONAB, 2019). “No entanto, a cultivar FIBRA IPRO mostrou uma boa produtividade de 3.188,07 kg ha1 (Tabela 2), próximo aos valores obtidos na safra passada. Possíveis causas da baixa produtividade geral ocorrida no ensaio se deve aos veranicos ocorridos nos meses de Dezembro de 2018 e Janeiro de 2019, que prejudicaram a cultura”, finaliza Renato Massaro.

O Sindicato agradeceu ao parceiros pelo encontro, principalmente à pesquisadora Científica da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios APTA – Polo Regional da Alta Mogiana, de Colina (SP), Dra. Ivana Marino Bárbaro Torneli, pelo trabalho realizado; ao Francisco M. Muraishi, proprietário da Fazenda Matinha; ao engº agrº Cândido Miele Junior, da Casa da Agricultura de Guaíra e às empresas participantes do ensaio de competição de cultivares.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Agro
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos