Tereos obtém redução de 50% em áreas queimadas em 2018

Programa de prevenção e combate do Grupo inclui melhoria de processos e uso de satélites para detecção rápida de focos. Empresa também investe em campanhas de comunicação para diminuir ocorrências

Agro
Guaíra, 14 de julho de 2019 - 08h30


O início da temporada de seca no Sudeste traz uma grande ameaça para o setor sucroenergético: Os incêndios nos canaviais, com prejuízos para o meio ambiente e as usinas. Para reduzir esse impacto, a Tereos Açúcar & Energia Brasil vem fazendo investimentos em tecnologia e na melhoria de processos. Na safra 2018/19, com o programa de prevenção e combate a incêndios, a empresa conseguiu uma redução de 50% de área incendiada. Esse resultado se mostra ainda mais expressivo levando-se em conta que, no período, houve diminuição de 22% nas chuvas na região noroeste de São Paulo, onde estão as sete unidades do Grupo.

Segundo o diretor de Sustentabilidade da Tereos, Edilberto Bannwart, essa diminuição das ocorrências pode ser atribuída a uma série de iniciativas presentes no programa de prevenção e combates a incêndios implantado pelo Grupo. ”Além do sistema de monitoramento dos canaviais via satélite, estamos aprimorando a nossa estrutura de combate aos focos” comentou o executivo.

A Tereos foi pioneira no uso de sistema de monitoramento por satélite. Desenvolvido em parceria com a GMG Ambiental, o sistema – internamente chamado de ORION, sigla para Observed Remote Information from Orbital Navigation – foi testado na safra 2017/18 e colocado em operação em 2018/19. Com a adição de um satélite mais moderno em 2018, a velocidade para detecção dos focos de incêndio caiu para seis minutos, o que contribui com a agilidade do trabalho de combate das brigadas, reduzindo a extensão dos incêndios. Além disso, a empresa contabilizou uma diminuição de 20% no número de focos nas áreas de plantio próprio.

Além da redução de 50% da área incendiada, registramos uma queda no volume de cana incendiada em 38%, na safra de 2018/19, e 19% menos focos no mesmo período, comparado à safra anterior. ”Acreditamos que a diminuição do número de focos tem relação direta com a campanha de comunicação para conscientização, que iniciamos no ano passado” acrescentou ele. A campanha foi retomada esta semana, com divulgação nas redes sociais e ativações offline.

”Nosso compromisso com a melhoria dos processos é constante. Para esta safra, a Tereos está testando o uso de um aplicativo online para o registro das ocorrências, que pode ser acessado via tablet ou smartphones. O intuito é melhorar o fluxo de comunicação entre a torre de controle e as equipes de combate, trazendo o feedback das ocorrências em tempo real, bem como com a Polícia Ambiental” explicou Bannwart.

O sistema de monitoramento adotado pela Tereos, feito por meio de 13 satélites meteorológicos operados por agências governamentais (entre elas a Nasa), faz envios automáticos de alertas das ocorrências de incêndio diretamente à Central de Controle da empresa, na unidade Cruz Alta, em Olímpia (SP) o que permite respostas ágeis e controle imediato nas áreas atingidas. Com a evolução da ferramenta e a adição de satélites mais precisos, foi possível diminuir o tempo de detecção dos focos de incêndio para apenas 6 minutos (antes, o tempo médio era de 1h30).



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Agro
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos