Vereadores contrários ao empréstimo afirmam que vontade popular não foi respeitada

Moacir Gregório, Maria Adrina e Dra Bia Junqueira mantém a defesa que o orçamento do município não é bem gerenciado e que atual administração está comprometida em endividar prefeitura podendo, no futuro, comprometer serviços essenciais

Política
Guaíra, 2 de julho de 2019 - 08h30


Os vereador Moacir Gregório, Maria Adriana e Dra Bia Junqueira defendem correta utilização dos recursos próprios e são contra empréstimo de R$ 10 milhões

Os vereadores Moacir João Gregório (PSB), Maria Adriana de Oliveira Gomes (PT) e Ana Beatriz Coscrato Junqueira, a Dra. Bia Junqueira (PSDB), foram os três votos contrários ao projeto de lei de autoria do prefeito José Eduardo Coscrato Lelis, que solicitava autorização ao Poder Legislativo para contrair um empréstimo de R$ 10 milhões junto a Caixa Econômica Federal para realizar recapeamento de vias públicas da cidade.

O projeto de lei foi aprovado durante a sessão ordinária da noite da última terça-feira, 25. Por 7 votos favoráveis e os três contra, o público que lotou o plenário da Câmara Municipal viu os vereadores que fazem parte da base aliada do prefeito concederem a autorização necessária ao Poder Executivo para contratar o segundo empréstimo neste mandato. O primeiro foi aprovado no valor de R$ 4 milhões, com objetivo de promover a renovação da frota de veículos.

Os três parlamentares que votaram contra o projeto de lei de empréstimo de R$ 10 milhões para recapeamento mantiveram a mesma linha de defesa de argumentos para a rejeição do projeto. Comentaram que Guaíra possuiu um orçamento rico que neste ano pode ultrapassar os R$ 200 milhões e que sendo bem gerenciado, o recapeamento de vias públicas deve ser realizado com recursos públicos, sem a necessidade de endividar a prefeitura. Mesmo com vários argumentos, o projeto de lei foi aprovado por 7 votos a 3. Os vereadores Moacir João Gregório, Maria Adriana de Oliveira Gomes e Ana Beatriz Coscrato Junqueira, votaram contra. Os vereadores Caio César Augusto, Cecilio José Prates, José Mendonça, José Reinaldo dos Santos Júnior, José Natal Pereira, Jorge Domingos Talarico e Edvaldo Morais votaram a favor.

A preocupação maior dos vereadores contrários ao empréstimo é que o endividamento da prefeitura possa, no futuro, comprometer ainda mais o poder de investimento do município e obrigando administrações a cortarem serviços essenciais à população. ”Um bom gestor, que trabalha buscando a eficiência e excelência, com um orçamento rico como é o de Guaíra, não pode contrair um empréstimo, onde irá endividar a prefeitura, prejudicar o capital de investimento e ainda pagar juros para bancos. Ele tem que mostrar que é competente para cuidar do dinheiro do povo e fazer investimentos com recursos próprios, o que a atual administração não está fazendo deste o início do seu governo. Lamento que o projeto tenha sido aprovado desta forma contrariando a vontade da população. Agora que ele optou pelo asfalto como prioridade do seu governo, nos resta fiscalizar todo processo e rezar para que prefeito comece a cuidar melhor da nossa população, evitando o sofrimento dos cidadãos guairenses com serviços essenciais” disse ele.

A vereadora Maria Adriana de Oliveira Gomes destacou que Guaíra possui outras prioridades e lamentou que aprovação do projeto de empréstimo. Segundo ela, a vontade do povo foi desrespeitada. ”Não somos contra o recapeamento de ruas da cidade. Este é um serviço que deve ser feito e entrar na área de manutenção da cidade como se fosse uma obrigação constante. Eu defendo que existem outras prioridades, como na área de Saúde. Porque não fizeram um financiamento para comprar um tomógrafo, para melhorar nossas ambulâncias, para contratar mais médicos, enfim, cuidar do que é essencial para a nossa população. Mas querem contrair este empréstimo a todo custo, sem medir as consequências do futuro. Na minha opinião, quem está fazendo política antecipada aqui é o prefeito e seu grupo político. Durante dois anos e seis meses não fizeram absolutamente nada e agora querem endividar a prefeitura para tentar reverter a situação. Hoje o cidadão está mais consciente e sabe muito bem da jogada política. Conseguiram aprovar o projeto, mas perceberam a força do povo, que já não aguenta mais sofrer as consequências pela falta de gestão do atual prefeito” disse ela.

A vereadora Dra. Bia Junqueira disse que a população paga um alto custo pela falta de gestão do atual prefeito e sua equipe. Para ela, o gerenciamento dos recursos próprios da prefeitura deveria ser suficiente para fazer os investimentos na infraestrutura da cidade. ”Um município que possui um dos maiores orçamento da região ter que recorrer a empréstimo para fazer a lição de casa que é cuidar das vias públicas da cidade, chega a ser vergonhoso. Fui eleita do lado do prefeito com o propósito de fazermos um governo de excelência, de bom uso dos recursos públicos. Não mudei a minha postura, continuo exercendo meu papel de fiscalizadora em defesa de uma nova política, onde os privilégios sejam cortados em favor de que o orçamento seja aplicado exclusivamente em favor dos cidadãos. Hoje vejo é que o dinheiro do povo não é bem aplicado. Temos ai vários problemas, como na área de Saúde, no abastecimento de água, que não foram solucionados porque gostam de causar a calamidade em meio a população para depois apresentarem uma suposta solução. Agora, contraíram um empréstimo, vão pagar juros e não se preocuparam com o futuro da cidade. Este aval para o empréstimo só comprova que não estão preocupados com a cidade, mas sim com o projeto político de permanência no poder. Agora nos resta fiscalizar e espero que todos os vereadores envolvidos exerçam com dedicação este trabalho fiscalizatório” disse ela.

Finalizando, os vereadores combateram a estratégia de integrantes do grupo do prefeito que querem levar o debate do empréstimo para a vitimização. ”Ninguém ataca o pai de família ou o cidadão José Eduardo e qualquer integrante do seu governo. Não é nada pessoal, mas sim a relação entre dois poderes, que no nosso caso é o Legislativo que tem como principal função a fiscalização. Nós questionamos a sua eficiência à frente do governo. Ele foi eleito, é um homem público e a cobrança de resultados é natural” disse vereadora Dra. Bia Junqueira. ”Não venham querer vitimizar, apresentar uma luta do bem contra o mau que isto não existe. O que existe são vereadores preocupados com a cidade, que foram eleitos para fiscalizar e cobrar o que foi prometido em campanha. Respeito a pessoa do prefeito, mas suas decisões e ações do governo tenho todo direito de questionar e fiscalizar” comentou Moacir Gregório. ”Querem desviar o foco do debate do mau uso dos recursos públicos afirmando que estão desrespeitando famílias. Isto não ocorre, sabemos separar o gestor público, do cidadão. Agora, quem está sendo desrespeitada é a família guairense, aquela que não tem plano de saúde, não tem poço perfurado na sua casa e sofre as consequências da má gestão do atual prefeito e de seu grupo político” finalizou Maria Adriana.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Política
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos