Cristina e os ensinamentos de línguas estrangeiras em Guaíra

Cristina Mendes de Moraes, mãe de Mikael de 7 anos, morou em Guaíra até seus 18 anos. Depois disso, se aventurou pelo mundo, foi recepcionista durante longo tempo em um navio de Cruzeiro, morou fora do país e, dentro da sua timidez, reverencia quem abriu as portas para ela, aos pais, de origem simples e humilde e vislumbra no futuro mais ensinamentos.  Hoje, sua escola oferece aulas de Inglês, Espanhol e Italiano. Está sempre aprendendo, buscando e estuda muito sozinha a língua Alemã e Francesa, pois adora idiomas

Entrevistas
Guaíra, 9 de dezembro de 2019 - 10h42


Você morou em Santos?

Sim, saí de Guaíra com 18 anos e fui morar em Santos. Era o primeiro ano do ENEM, então consegui uma bolsa de estudos e fui cursar Oceanografia. Não cheguei a terminar o curso e descobri os encantos de se trabalhar em um Cruzeiro.

 

Como é trabalhar em um Navio?

Trabalhei durante cinco anos e, como já dominava bem a língua Inglesa, não houve resistência em ser admitida. Passava cerca de nove meses dentro do navio, mas eu podia passear, sair, conhecer os lugares. Conheci assim vários países e minha função era recepcionar os passageiros.

 

Então teve contato com pessoas de vários lugares?

Exatamente. Tive a oportunidade de aprimorar o Inglês e mesmo não tendo uma formação acadêmica, mas a experiência de cerca de cinco anos me relacionado diretamente com pessoas das mais variadas línguas me deu um conhecimento de vida muito válido.

 

Então não falava somente Inglês?

Não falava somente o Inglês. Me relacionava com as pessoas em Espanhol, Italiano, então, fui aprendendo e conhecendo vários países e vários idiomas.

 

O que fez deixar esta vida, que aos olhos de muitos parece ser bem glamorosa?

Realmente é uma vida muito interessante, muito diferente, mas Mikael chegou e foi um momento de repensar na vida, porque não tinha como viver em um navio com uma criança. Morei um tempo na Itália, mas preferi voltar para Guaíra, estar perto da minha família e oferecer ao meu filho uma vida mais calma.

 

Então, voltou de vez?

Olha como Deus encaminha o destino das pessoas – Conheci a Tatiana Vacaro no Coral do qual comecei a fazer parte. Eu falo sempre que foi uma feliz coincidência, o destino é mesmo muito maravilhoso e a Tatiana é uma pessoa a quem agradeço todos os dias e muitas vezes nem encontro palavras para expressar minha gratidão. Eu dava aulas de Inglês nas  escolas de Guaíra e fui conversar com ela por conta dos estudos do Mikael e ofereci ministrar aulas no Santa Luz. Assim, a Tauana, o Alex e a Tatiana me fizeram outra proposta – A escolinha de Inglês ligada à escola Santa Luz estava sem professor, então, me ofereceram uma troca – Eu daria aulas de Inglês e meu filho estudaria no ensino fundamental.

 

Assim, começou a dar aula de Inglês?

Sim, no começo foi somente para os filhos dos mantenedores. Logo, depois de alguns entendimentos, assumi a escolinha de Inglês, comecei a gerenciar, ainda como Santa Luz idiomas e, posteriormente, fizemos um acordo e nasceu a ”Easy Way”.

 

O que a Easy Way oferece?

É uma maneira, um jeito muito fácil de aprender. Esta é proposta que tenho na escola, facilitar, tudo dentro de ambiente muito amigável, acolhedor, tranquilo… Procuro ver cada aluno de uma maneira muito individual. Vou entendendo as facilidades e as dificuldades de cada um.

 

Pode-se então dizer que aluno pode chegar com conhecimento zero na língua?

O aluno pode chegar com qualquer nível de conhecimento. Sem nenhuma bagagem, sem nenhum conhecimento. Isto não é barreira para aprender a língua, do mesmo modo que tenho alunos que chegaram já com um bom nível de conhecimento e querem fortalecer e melhorar a pronúncia. Outros querem fortalecer a conversação. Por isso que eu reitero: trato os alunos de uma maneira muito individual. Este é o meu diferencial.

 

Qual a idade de sua clientela?

Hoje, tenho alunos de seis anos até sessenta anos. Tenho turmas, tenho alunos particulares, ofereço vários níveis de Inglês. Comecei com dez estudantes e hoje já estou avançando e quase chegando ao meu objetivo. A escola é nova, não tem ainda nem dois anos.

 

Você acredita que saber outra língua é imprescindível hoje em dia?

É mesmo imprescindível. Antigamente era um item do currículo, hoje o mercado de trabalho exige não somente uma segunda língua, mas até uma terceira língua. Eu acredito que ainda o Inglês é a língua mais falada no mundo e ter este conhecimento é um diferencial para qualquer tipo de trabalho que você se propõe a fazer, há mais oportunidades.

 

Enriquece o currículo?

Com certeza. Eu tenho alunos que estão comigo desde o começo que detêm o Inglês básico, nem estão no nível avançado e já conseguiram avançar no campo profissional. Tenho alunos que conseguiram empregos nas multinacionais, graças ao seu conhecimento nesta língua.

 

A sociedade de Guaíra te acolheu bem?

Sou muito grata à sociedade guairense. É minha terra, minha base, minha raiz. Me acolheram com muito carinho. Sou extremamente grata e estou de braços abertos. Através da experiência adquirida, das minhas habilidades, quero contribuir para melhorar a nossa sociedade. Quero agradecer, mais uma vez, à família Vacaro e aproveitar a oportunidade de agradecer à minha cidade. Hoje, sou uma pessoa realizada, olhando para trás vejo que a vida me proporcionou muito além dos meus anseios. Nunca pensei que um dia iria ensinar Inglês e outros idiomas, mesmo sabendo que tenho um longo caminho pela frente, já me sinto muito grata e realizada por tudo que aconteceu na minha vida…



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

OUTRAS NOTÍCIAS EM Entrevistas
Ver mais >
Acompanhe nossas atualizações. Siga-nos